22°
Máx
16°
Min

Nigéria, Catar, Argélia e Venezuela apoiam teto de produção da Opep, diz fonte

Integrantes da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) discutem a possibilidade de determinar um novo teto de produção do grupo, de acordo com delegados presentes. A reunião a portas fechadas ocorre um dia antes da reunião oficial da Opep, nesta quinta-feira. Segundo uma fonte envolvida com as conversas, Nigéria, Catar, Argélia e Venezuela defendem o teto na produção.

As autoridades do Catar compararam o teto na produção do grupo a um antibiótico para se superar uma doença. A Argélia, por sua vez, acredita que os preços da commodity irão cair, caso a Opep não aja de maneira coordenada nesta quinta-feira.

A Arábia Saudita está disposta a embarcar na iniciativa, se houver consenso. O país deseja, porém, que o teto seja elevado de 32 milhões para 32,5 milhões de barris por dia, como uma maneira de reconhecer a crescente parcela da Opep no mercado, disse a fonte.

Pelo menos um poderoso membro, os Emirados Árabes, posicionou-se contra a reintrodução de uma cota, a menos que o Irã também concorde com isso, de acordo com a pessoa ouvida. O regime iraniano tem dito que não deixará de elevar sua produção a menos que supere 4 milhões de barris por dia - parte de seu plano para se recuperar economicamente, após se livrar de sanções internacionais que pesavam contra seu programa nuclear.

Os Emirados Árabes têm dito que as forças do mercado estão atuando para equilibrar os preços e que a abordagem da Opep tem sido apropriada. Fonte: Dow Jones Newswires.