21°
Máx
17°
Min

OCDE vê recessão menor no Brasil e crescimento global um pouco mais baixo no ano

A Organização para Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) previu, em relatório sobre a perspectiva econômica divulgado nesta quarta-feira, que a economia brasileira deve encolher 3,3% no ano atual, não mais 4,3% como apontado nas projeções de junho da entidade. No caso do crescimento mundial, a OCDE espera agora avanço de 2,9%, quando antes previa 3,0%.

A economia do Brasil deve encolher 0,3% em 2017, projeta a OCDE, quando em junho esperava queda de 1,7% no Produto Interno Bruto (PIB) do País no próximo ano. Em todo o mundo, a expectativa de crescimento para 2017 foi reduzida de 3,3% para 3,2% agora.

Em resposta à decisão do Reino Unido de votar por sua saída da União Europeia, em plebiscito realizado no fim de junho, a OCDE reduziu sua projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do país em 2017, de 2% para 1%. Em 2016, porém, a expectativa melhorou de um avanço de 1,7% para +1,8%. Na Alemanha, a previsão é de alta de 1,8% do PIB neste ano - 0,2 ponto porcentual a mais que em junho - e de 1,5% em 2017 - 0,2 ponto porcentual mais baixo que o calculado em junho.

No caso dos EUA, a projeção para o ano atual caiu de 1,8% para 1,4% e para 2017 ela foi reduzida de 2,2% para 2,1%. Já as projeções para a China foram mantidas: crescimento de 6,5% neste ano e de 6,2% no próximo. A expectativa para a Índia tampouco foi alterada e está em avanço do PIB de 7,4% em 2016 e de 7,5% no ano seguinte.