22°
Máx
14°
Min

ONS prevê afluência a 33% da média histórica no Nordeste em maio

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) prevê que a Energia Natural Afluente (ENA), indicador que dimensiona a utilização da capacidade dos reservatórios e consequente geração de energia, ficará em 33% da média histórica na região Nordeste no mês de junho. Em sua primeira previsão para o período, o ONS projeta que no fim do próximo mês os reservatórios da região estarão em 27,1%, seguindo em trajetória de queda e abaixo dos 30,69% anotados na quinta-feira, 26.

Já o submercado Sudeste/Centro-Oeste, que concentra grande parte dos reservatórios do País, registrará um volume de chuvas perto da média histórica, resultando em uma ENA de 93% da média de longo termo (MLT) para junho, estima o operador. O nível dos reservatórios da região deverá ter leve diminuição, chegando a 55,2% em 30 de junho, ante os 56,8% de quinta.

Para o Norte, a ENA prevista é de 44% da média histórica e o nível de reservatório deve chegar a 62,8% no final do mês que vem, praticamente estável frente aos 62,66% registrados nesta quinta-feira. Já o Sul seguirá registrando chuvas acima da média, com uma ENA de 124% da MLT. Mas, o nível dos reservatórios da região cairá dos atuais 90,87% para 85,6% ao final de junho.

Demanda

O ONS também divulgou sua previsão de carga para junho, com uma estimativa de 63,241 MWmédios, o que corresponde a uma alta de 0,7% em relação ao volume registrado em junho de 2015, mas queda de 2,3% frente a maio. O aumento da carga frente igual etapa do ano passado deve ser observado em todas as regiões, com destaque para os submercados Norte (+1,7%) e Nordeste (+1,1%).

No Sul, a estimativa é de alta de 0,7% e no Sudeste/Centro-Oeste o avanço é de apenas 0,4%.

CMO

O Informe do Programa Mensal de Operação (IPMO) divulgado nesta sexta-feira também aponta queda no custo de geração de energia nos submercados Sudeste/Centro-Oeste e Sul, mas alta no Norte e Nordeste.

Para a semana de 28 de maio a 3 de junho, o Custo Marginal de Operação (CMO) foi fixado em R$ 40,07/MWh no Sudeste/Centro-Oeste e R$ 36,04 no Sul, ante os R$ 51,82/MWh da semana que passou, para ambos submercados. No Norte, o CMO passou de R$ 53,74/MWh para R$ 88,19, enquanto na região Nordeste, o CMO pulou de R$ 99,79/MWh para R$ 201,47/MWh.

O CMO é utilizado como referência para a definição do PLD, indicador que deve ser divulgado ainda esta tarde pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).