23°
Máx
12°
Min

Opep diz que Arábia Saudita tem produção de petróleo recorde em julho

A produção de petróleo da Arábia Saudita atingiu recorde histórico em julho, afirmou a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) em seu relatório nesta quarta-feira. O país contribui, com isso, para o excesso de oferta no mundo, que tem pressionado os preços da commodity há dois anos.

A Arábia Saudita informou a Opep que sua produção de petróleo de julho atingiu o recorde de 10,673 milhões de barris, para atender a demanda doméstica sazonalmente mais alta e com foco na manutenção da fatia de mercado, em vez da redução da oferta para impulsionar os preços. Segundo o reino, o recorde anterior era de 10,56 milhões de barris por dia, registrado em junho de 2015.

A Arábia Saudita é um dos poucos países que ainda queima petróleo para gerar eletricidade, por causa da falta de gás. O país usou quase 600 mil barris por dia de petróleo para eletricidade no mês passado, atingindo o pico de 900 mil barris por dia durante os meses mais quentes, no verão.

O reino tem mantido produção no momento em que compete por mercado com vários rivais, entre eles o Irã, que eleva a produção após se livrar de sanções, e a Rússia. Além disso, os Estados Unidos começaram a vender petróleo ao exterior pela primeira vez em 40 anos.

A Opep, que controla mais de um terço da oferta mundial de petróleo, disse que sua produção da commodity em julho subiu 46 mil barris por dia, para 33,11 milhões de barris por dia, por causa da maior produção de Iraque e Arábia Saudita. O cartel tem agora 14 membros, após a adesão em junho do Gabão.

A entidade disse em seu relatório mensal que elevou sua previsão para crescimento na demanda por petróleo neste ano em 1,22 milhão de barris por dia, cerca de 30 mil barris por dia a mais que no mês passado. Para 2017, a previsão é que a demanda global por petróleo cresça 1,15 milhão de barris por dia, projeção inalterada em comparação com a do mês passado.

A oferta de fora da Opep deve recuar 790 mil barris por dia neste ano, uma revisão em alta de 90 mil barris por dia, com a expectativa maior de produção no segundo trimestre dos EUA e do Reino Unido. Em 2017, a oferta de fora do cartel deve ter recuo de 150 mil barris por dia, após uma revisão em baixa de 40 mil barris por dia ante o mês passado.

A Opep disse ainda que a demanda pelo seu petróleo neste ano deve atingir 31,9 milhões de barris por dia. Para 2017, a demanda pela commodity do grupo deve ficar em 33 milhões de barris por dia.

O cartel disse que os estoques comerciais de petróleo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) recuaram em junho, para 30,45 bilhões de barris. Fonte: Dow Jones Newswires.