24°
Máx
17°
Min

Pais gastam mais com filhas meninas: entenda os perigos desse hábito

A variedade de roupas, sapatos, assessórios e itens de higiene e beleza para meninas pode fazer com que pais gastem até 30% mais com suas filhas do que com seus filhos (Foto: Thiago Queiroz / Estadão Conteúdo) - Pais gastam mais com filhas meninas: entenda os perigos desse hábito
A variedade de roupas, sapatos, assessórios e itens de higiene e beleza para meninas pode fazer com que pais gastem até 30% mais com suas filhas do que com seus filhos (Foto: Thiago Queiroz / Estadão Conteúdo)

A variedade de roupas, sapatos, assessórios e itens de higiene e beleza para meninas pode fazer com que pais gastem até 30% mais com suas filhas do que com seus filhos. Essa é a percepção de Reinaldo Domingos, presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), que alerta: o hábito pode gerar consequências ruins, como o incentivo à menina para o consumismo desenfreado e o endividamento familiar para atender a quesitos muitas vezes supérfluos.

“Um dos maiores vilões da saúde financeira dos brasileiros é o hábito da satisfação pelo consumo, que costuma ser iniciado na infância e juventude. Uma criança que é incentivada a ter sempre itens novos para se sentir bem, corre o sério risco de se tornar um adulto endividado, inadimplente e possivelmente infeliz, pois não aprendeu a priorizar a conquista dos seus verdadeiros sonhos”, alerta Domingos, que é pai de uma menina e de um menino.

No caso das meninas, boa parte das compras é relacionada à sua aparência, como acessórios para corpo e cabelo. O consumo ligado à vaidade pode levar a compras constantes e motivadas por impulsos emocionais. Atualmente, mais mulheres adultas fazem compras por esses motivos do que homens adultos, segundo pesquisa divulgada pela SPC Brasil e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas.

“As meninas precisam ser educadas financeiramente para se tornar mulheres capazes de administrar recursos. Atualmente, muitas estão à frente das finanças familiares e empresariais, portanto a responsabilidade de educa-las deve ser compartilhada entre seus responsáveis e as escolas. Não à toa, muitas instituições de ensino já ministram aulas sobre o tema. Em casa, aconselho que os pais demonstrem a suas filhas que o dinheiro está em tudo – naquilo que elas compram, doam, trocam, reutilizam e também jogam fora”, explica Domingos, que também é autor do livro ‘Mesada não é só dinheiro’ (Editora DSOP).

Conheça 5 atitudes que os pais podem tomar para transmitir educação financeira aos seus filhos

  1. Ensinar o ato de doar: Incentivar os filhos a doar roupas e brinquedos pouco utilizados faz com que aprendam a pensar não só si, mas também em outras crianças. Dessa forma, eles se tornarão adultos menos egoístas e mais sensíveis às necessidades das outras pessoas;
  2. Praticar a mesada: Além da tradicional, existem as mesadas de troca (em que a criança troca algo que tem por algo que deseja), a mesada social (em que é estimulada a optar por passeios em meio a natureza e que priorizem a companhia de amigos e familiares), entre outras. Destas formas, a criança passa a ter hábitos de consumo mais saudáveis;
  3. Incentivar que sonhem: Os pais podem sentar com os filhos e incentivar que estabeleçam pelo menos três sonhos: um a ser realizado em até um mês, (chamado de sonho de curto prazo), outro em até seis meses (médio prazo), e outro a ser conquistado em um ano (longo prazo). Assim, eles terão importantes motivos para poupar dinheiro e aprenderão que dessa forma é possível conquistar muitas coisas;
  4. Ajudar a fazer escolhas: É importante que a criança saiba diferenciar um desejo de uma necessidade, tendo sempre em mente os seus verdadeiros sonhos. É interessante que ela possa reconhecer que o dinheiro é algo difícil de ser alcançado e, portanto, deve ser valorizado e utilizado de forma consciente;
  5. Dar o exemplo: As crianças aprendem a agir vendo as atitudes dos pais. Portanto, é preciso lidar com as finanças de forma consciente e sustentável, tendo um planejamento definido que priorize a realização dos sonhos dos integrantes da família.

Colaboração Assessoria de Imprensa