22°
Máx
14°
Min

Paraná é líder nacional em contratações pelas Agências do Trabalhador

(Foto: Valdecir Galor/SMCS) - Paraná é líder nacional em contratações pelas Agências do Trabalhador
(Foto: Valdecir Galor/SMCS)

O Paraná liderou as contratações de trabalhadores do mercado formal intermediadas pelas Agências do Trabalhador em 2015. De acordo com dados do Ministério do Trabalho e Previdência Social, a cada cinco trabalhadores admitidos por meio das agências em todo o país, no ano passado, um conseguiu a vaga por meio das agências do Paraná. Com 98.138 contratações intermediadas, o estado registrou 20 mil vagas a mais do que São Paulo, segundo colocado no ranking nacional. 

O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostra que 1,2 milhão trabalhadores foram admitidos no Paraná, em 2015. Deste total, 18% tiveram as vagas intermediadas pelas Agências do Trabalhador instaladas no estado. A participação é superior à média nacional, que chegou a 10%. 

Trabalho ativo

Para a coordenadora estadual de Intermediação de Mão de Obra da Secretaria Estadual do Trabalho e Desenvolvimento Social, Ângela Grande Carstens, o trabalho ativo das equipes das agências na captação de vagas, o apoio técnico constante na supervisão das unidades e no treinamento dos agentes contribuem para os bons resultados alcançados no estado.

“O número de agências também facilita o acesso do trabalhador às oportunidades de emprego. O Paraná tem uma grande rede, com unidades em 223 municípios, o que traz uma cobertura maior da população do estado”, destaca Ângela. 

Recolocação

O trabalho das equipes também foca a recolocação dos trabalhadores que buscam as unidades para solicitar o seguro-desemprego. Do total contratados por meio das agências em 2015, 16% conseguiram um novo emprego enquanto recebiam o benefício. Esse resultado ultrapassou a média nacional, que foi de 14%. 

“Em todos os serviços ofertados pela agência, o atendimento sempre começa no cadastro do trabalhador, pensando na possibilidade de encaminhá-lo para uma vaga de emprego”, explica a coordenadora estadual do Seguro-Desemprego, Fátima Martins Siqueira. 

Ela esclarece, ainda, que as vagas disponíveis são ofertadas automaticamente pelo sistema, de acordo com o perfil e a última remuneração do trabalhador, no momento em que o benefício é requerido. Quando não há vagas dentro da área de atuação, o agente oferece oportunidades em outras ocupações. “Mesmo recebendo o benefício, o trabalhador é monitorado pelo sistema, que é preparado para convocá-lo a qualquer momento, assim que surgir uma vaga de no seu perfil”, diz Fátima. 

Resultados

Do total de agências instaladas no Estado, 220 são administradas numa parceria entre o Ministério do Trabalho, Governo do Estado e prefeituras. Desde 2011, mais de meio milhão de trabalhadores ocuparam postos no mercado de trabalho por meio das unidades. Desse total, aproximadamente 75% das vagas foram ocupadas no interior do estado. 

Como funciona

Para se candidatar às vagas, o interessado deve comparecer à Agência do Trabalhador mais próxima de sua casa e levar a Carteira de Trabalho e documentos pessoais, como Carteira de Identidade e CPF. 

Na unidade é feito o cadastro do trabalhador e, se houver uma vaga compatível com o seu perfil, imediatamente ele receberá uma carta de encaminhamento para uma empresa. A partir daí, o processo seletivo obedece aos critérios definidos pelo empregador. Aproximadamente 80% dos trabalhadores que procuram as agências saem da unidade com entrevista de emprego agendada. A escolha do candidato contratado fica por conta do empregador.

Colaboração AENPr.