26°
Máx
19°
Min

Paraná e SP determinaram alta do fluxo total de veículos em julho, diz ABCR

O crescimento de 2,3% do fluxo total de veículos pelas estradas pedagiadas em julho, comparativamente a junho, descontados os efeitos sazonais, foi determinado pelas expansões de 2,8% nas passagens de veículos pelas praças de pedágios nas estradas paranaenses e de 2,7% nas estradas paulistas. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira, 10, pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) e pela Tendências Consultoria Integrada.

O aumento do movimento nas estradas do Paraná no mês passado, segundo a ABCR, foi determinado pelo crescimento de 6,2% no fluxo dos veículos leves. No caso dos pesados, houve queda de 1,5%. Os dados estão livres dos efeitos sazonais. Na comparação de julho com o mesmo mês no ano passado, o índice total do Estado do Paraná aumentou 0,7%. O fluxo de veículos leves cresceu 4,4%, enquanto o fluxo de pesados registrou queda de 5,8%.

Nos últimos 12 meses, o fluxo total nas estradas paranaenses recuou 2,2%. Considerando essa mesma base de comparação, o fluxo de leves e pesados registraram queda de 2,9% e 0,9%, respectivamente. Por fim, no acumulado do ano, o fluxo total registrou queda de 1,5% no Paraná. O fluxo de veículos leves recuou 2,1% e o de pesados, 0,3%.

Em São Paulo, o aumento de 2,7% no fluxo total de veículos pode ser contado da seguinte forma. Os leves aumentaram em 3,6% as passagens nos pedágios e os pesados reduziram em 1,9% a circulação, descontados as influências sazonais. Na comparação sobre julho de 2015, o índice total de São Paulo apresentou queda de 2,4%. O fluxo de veículos leves e pesados registraram queda de 0,4% e 8,7%, pela ordem.

Nos últimos 12 meses, o fluxo total do Estado de São Paulo recuou 2,7%. Considerando essa mesma base de comparação, o fluxo de leves registrou queda de 1,6% e o de pesados diminuiu 5,8%. No acumulado de janeiro a julho, o fluxo total apresentou retração de 3% em São Paulo. O fluxo de veículos leves recuou 2,1% e o de pesados caiu 5,6%.

O fluxo total de veículos em julho só não cresceu acima dos 2,3% anotado pela ABCR porque no Rio de Janeiro a circulação de veículos recuou 0,1% na comparação do junho. A movimentação dos leves registrou alta de 0,3%, mas a dos pesados despencou 1,2%.

Na comparação julho de 2016 sobre julho de 2015, o índice total do Estado apresentou queda de 4,5%. O fluxo de veículos leves recuou 3,1%, enquanto o fluxo de pesados caiu 11,5%. Nos últimos doze meses, o fluxo total do Rio encolheu 4,4%. Considerando essa mesma base de comparação, o fluxo de veículos leves registrou queda de 3,4% e o de pesados, 9,3%. De janeiro a julho, o fluxo total caiu 3,4%. O fluxo de veículos leves recuou 2,2%, enquanto o fluxo de pesados teve queda de 9%.