24°
Máx
17°
Min

Parente critica a Lei de Partilha no pré-sal

(Foto: José Cruz/Agência Brasil) - Parente critica a Lei de Partilha no pré-sal
(Foto: José Cruz/Agência Brasil)

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, criticou a Lei de Partilha que trata da exploração e produção de óleo e gás no pré-sal e determina que a estatal seja a operadora de toda área na região. O tema está sendo discutido no Congresso, onde tramita projeto de lei que propõe o fim dessa obrigatoriedade e dá à Petrobras a opção de operar apenas os blocos da sua preferência.

"É curioso que haja resistência de se trocar obrigação por opção (de operar no pré-sal). Tem que ser feito um exercício de criatividade para entender", afirmou Parente, enquanto apresenta o plano de negócios para o período de 2017 a 2021 a uma plateia de executivos do setor, em evento organizado pelo Instituto Brasileiro do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) no Rio.

Em seu discurso, Parente ainda criticou incertezas regulatórias próprias da indústria petroleira no Brasil e mudanças repentinas de "natureza estrutural" no setor, como recorrentes elevações tributárias. A política de conteúdo local também foi alvo de reclamação por parte do presidente da Petrobras, que defende a flexibilização para que as empresas petroleiras tenham a opção de buscar melhores preços para equipamentos e serviços no exterior.