22°
Máx
14°
Min

Paul Krugman e George Akerlof parabenizam ganhadores do Nobel de Economia

Horas após ter recebido a ligação que o informou que ganhou o Prêmio Nobel de Economia, Bengt Holmstrom, professor do Massachusetts Institute of Technology (MIT) afirmou que ainda está atordoado, sem reação, e se perguntando se está vivendo um sonho.

Holmstrom disse durante uma coletiva de imprensa no MIT que "ainda está se questionando se irá acordar ou não, se isso é real."

O economista de origem finlandesa dividiu o prêmio com o britânico Oliver Hart, professor da Universidade de Harvard, por suas contribuições para o entendimento da teoria dos contratos, que aborda questões como remuneração baseada em performance para executivos de altos cargos.

O anúncio foi feito nesta manhã em Estocolmo, pela Real Academia de Ciências da Suécia . Os ganhadores dividirão o prêmio de 8 milhões de coroas suecas (cerca de US$ 924 mil).

Os dois economistas têm sido tão influentes e por tanto tempo que o fato de terem ganho o Prêmio Nobel de Economia não causou surpresa para outros estudiosos.

Paul Krugman, economista que ganhou o mesmo prêmio em 2008 escreveu no Twitter: "Hart e Holmstrom mereciam tão obviamente o prêmio que meu primeiro pensamento foi ' eles ainda não tinham ganhado o Nobel?'"

"Esse é o Prêmio Nobel de Economia no seu melhor", disse George Akerlof, da Universidade de Georgetown, que ganhou o mesmo prêmio em 2001. "A personalidade de Bengt e Oliver brilha em seus trabalhos: eles são verdadeiros intelectuais e grandes pessoas."

Akerlof é casado com Janet Yellen, presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA).

Em pesquisas durante os anos 1970, 1980 e 1990, Hart e Holmstrom criaram "novas ferramentas teóricas" que lançaram luz sobre como contratos ajudam as pessoas e as companhias a lidar com interesses em conflito e as "potenciais armadilhas" que ocorrem quando contratos são mal feitos, informou a Academia Real de Ciências da Suécia. Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.