22°
Máx
14°
Min

Políticas econômicas equivocadas levaram à desindustrialização, diz CNI

As decisões equivocadas de políticas econômicas tomadas pelo governo levaram a indústria a uma perda de mais de 10 pontos porcentuais na sua participação no Produto Interno Bruto (PIB) nos últimos anos. A afirmação foi feita nesta terça-feira, 3, pelo presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade. Ele participa da cerimônia de abertura da Feira Internacional de Máquinas e Equipamentos (Feimec), no Expo São Paulo, na zona sul da capital paulista.

De acordo com Andrade, hoje a indústria da transformação representa mais ou menos 9% do PIB. Quando se coloca junto os setores da mineração e construção civil, a participação da indústria no PIB sobe a 14%. "Mas já fomos 26% do PIB. Perdemos posições por conta das politicas econômicas equivocadas", disse o presidente da CNI.

Andrade lembra que o setor enfrenta problemas de ordem cambial e trabalhista, que também contribuem para a situação negativa do setor. "A indústria que mais emprega e mais capacita trabalhadores no Brasil é a mais prejudicada pela justiça trabalhista e pela tributação", queixou-se o dirigente.

"Temos problemas com a burocracia e todas estas questões é que levaram à desindustrialização nos últimos anos. Mas apesar disso tudo, estamos confiantes no futuro. Vamos ter uma troca de governo. Claro que não existe magia, mas isso já nos leva a crer na volta da confiança e dos investimentos", disse Andrade.

Ainda de acordo com o presidente da CNI, a indústria brasileira tem condições de concorrer com a indústria europeia dentro das fábricas. "O nosso problema é da porta para fora das fábricas", disse.