28°
Máx
17°
Min

Preços no atacado, puxados por soja e milho, explicam aceleração do IGP-10

Os preços no atacado puxaram a aceleração do Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10), que avançou 1,42% em junho, após subir 0,60% em maio. Os destaques desse movimento foram a cadeia da soja, milho e alimentos processados, informou nesta quarta-feira, 10, a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Na aceleração que fez a taxa do IPA-10 mais do que dobrar (de 0,64% em maio para 1,89% em junho), destacaram-se a soja em grão (7,22% em maio para 15,98% em junho), farelo de soja (de 12,38% para 24,16%), milho em grão (de 6,47% para 8,70%) e suínos (-6,13% para 7,73%). Ainda no atacado, o preço do feijão foi destaque de alta, com aceleração de 2,82% em maio para 23,59% em junho.

Já o subgrupo "alimentos processados" acelerou de -0,55% para 0,80%, na passagem de maio para junho. Ainda no IPA-10, o subgrupo "materiais e componentes para a manufatura" reverteu tendência de -0,06% para 2,50%.

O IPC-10 (preços ao consumidor) e o INCC-10 (preços da construção civil) variaram menos do que o IPA-10. No varejo, houve elevação de 0,49% em junho, contra alta de 0,60% no mês anterior. O destaque da desaceleração ficou por conta de alimentos in natura, como a cenoura (de -15,15% em maio para -31,84% em junho) e a tangerina (de -1,08% para -23,39%).

O item taxa de água e esgoto residencial, por outro lado, teve impacto positivo, acelerando de 0,13% em maio para 4,54% em junho. No IPCA de maio, a tarifa de água e esgoto já havia sido destaque de alta, em função de reajuste e do fim do programa de bônus para incentivar a redução do consumo aos clientes da Sabesp, concessionária de água e esgoto da região metropolitana de São Paulo.