22°
Máx
14°
Min

Presidente da China diz que está comprometido com crescimento mais sustentável

O presidente da China, Xi Jinping, procurou tranquilizar os líderes mundiais ao dizer que seu governo está comprometido em colocar a economia da China em uma posição mais sustentável, e apelou às principais economias para que aumentem o comércio e o investimento para impulsionar o crescimento global.

Em um discurso na véspera da reunião do G-20, Xi disse, durante um fórum de negócios neste sábado, que a China "tem a confiança e tem a capacidade" para manter uma "taxa média-alta" de crescimento econômico. Para fazer isso, ele disse, a China continuará a reformar sua economia através da redução da dívida e corte do excesso de capacidade industrial.

Enquanto Pequim quer que o G-20 sirva para mostrar o papel ascendente da China no cenário global, a reunião acontece em meio a crescentes críticas por parte de alguns governos sobre as políticas chinesas, que dificultariam o crescimento mundial. As queixas giram em torno dos limites impostos pelo país de acesso aos seus mercados, enquanto suas empresas adquirem livremente concorrentes no exterior, e que a sua capacidade industrial desmedida está inundando o mundo com mercadorias, pressionando os preços.

O presidente chinês destacou os esforços de Pequim para cortar o excesso de produção em setores como os de aço e carvão, mas disse que as reduções são ações que a China tem adotado "por conta própria", indiretamente reconhecendo e rechaçando as pressões vindas do exterior. Chamando as medidas da China como "as mais fortes possíveis", ele disse que o país vai "manter seus compromissos".

Em resposta às críticas estrangeiras, as autoridades chinesas, em grande parte, procuraram mostrar a China como uma vítima - não uma causa - da desaceleração do comércio global. Xi Jinping tratou do tema. "O protecionismo comercial está em crescimento" em todo o mundo, disse. Ele pediu que as nações do G-20 tomem medidas em conjunto para diminuir as barreiras para o comércio e investimento internacional. Ele também disse que o grupo deve combinar políticas fiscais e monetárias com as reformas estruturais para impulsionar o crescimento global.

Na China, Xi reconheceu que o antigo modelo de crescimento, baseado no crédito, recursos naturais e mão de obra barata não é mais sustentável. Em alguns setores, ele disse, as empresas chinesas são "grandes, mas não estão fortes ou saudáveis". Ele prometeu continuar os esforços para promover a inovação e a proteção ambiental.

Alguns participantes na reunião de líderes empresariais, conhecido como B-20, neste sábado, saudaram o discurso do presidente chinês. "Em resposta aos temores sobre a desaceleração da economia da China, ele está nos dizendo que a economia chinesa continuará a crescer", disse Mikhail Mamonov, diretor-gerente do Russian Export Center, uma instituição estatal que visa promover produtos russos no exterior. "Isso é uma coisa boa para nós com foco em exportações". Fonte: Dow Jones Newswires.