28°
Máx
17°
Min

Primeira entrevista coletiva de Meirelles atrai número maior de jornalistas

A primeira coletiva de imprensa do novo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, atraiu a atenção também da imprensa internacional. Agências de notícias, jornais impressos e redes de TV estrangeiras acompanharam a fala de Meirelles e, inclusive, se inscreveram para fazer perguntas ao novo comandante da equipe econômica. Até mesmo entre a mídia nacional o interesse foi bastante superior ao notado nos últimos atos públicos de Nelson Barbosa na Pasta, quando a quantidade de profissionais de imprensa mal chegava a uma dezena.

Entre os meios de comunicação de outros países presentes nesta sexta-feira, 13, no auditório da Fazenda, destacaram-se os dois principais jornais argentinos, Clarín e La Nación. A CCTV chinesa e a norte-americana CNN também direcionaram seus correspondentes para acompanhar as promessas de alteração na política econômica brasileira. Menos comum nas coberturas do governo em Brasília, também foi registrada a presença de jornalistas mexicanos.

Para o correspondente da agência francesa AFP, Javier Tovar, o interesse dos veículos estrangeiros pela fala de Meirelles se deve ao fato do presidente em exercício Michel Temer ter deixado claro que a prioridade do seu governo será a economia.

"Todos querem saber sobre as primeiras medidas que serão tomadas em governo que promete ser mais liberal. Mas até agora nada foi anunciado, apenas se tentou acalmar as pessoas com relação à manutenção dos programas sociais", avaliou o jornalista.

O retorno de Meirelles ao governo federal depois de ter presidido o Banco Central nos dois mandatos do ex-presidente Lula também atraiu a imprensa goiana. O ministro, natural de Anápolis (GO), mantém uma posição de destaque no meio político do Estado pelo qual já se elegeu deputado federal em 2002, sendo o mais votado.