21°
Máx
17°
Min

Produção de motos cai 33,4% no 1º semestre e vendas recuam 26,8%, diz Abraciclo

A produção de motocicletas no Brasil teve queda de 33,4% no primeiro semestre de 2016, para 464.357 unidades, informou nesta terça-feira, 12, a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo). Só em junho, 81.387 unidades saíram das fábricas, recuo de 11,8% em relação a maio e baixa de 30,4% na comparação com junho do ano passado.

As vendas, por sua vez, recuaram 26,8% no primeiro semestre, com o registro de 469.581 emplacamentos. Em junho, foram 73.343 motocicletas licenciadas, queda de 4,3% sobre o resultado de maio e retração de 27,5% em relação a igual mês de 2015. As vendas no atacado (das fábricas para as concessionárias) também caíram na primeira metade do ano: 31,4%, para 452.368 unidades. Em junho, foram 77.548 unidades comercializadas, contração de 11,1% na variação mensal e de 23,3% na variação anual.

Na contramão, as exportações tiveram, de janeiro a junho, crescimento de 70,7% em relação a igual intervalo de 2015, para 31.134 unidades. Os embarques registrados só em junho somam 7.657 motocicletas, alta de 36,6% ante o volume de maio e de 39,8% na comparação com o sexto mês do ano passado.

A Abraciclo atribui o crescimento à melhora do ambiente econômico na Argentina, o principal destino das exportações brasileiras de motocicletas.

Apesar da melhora nas vendas externas, a Abraciclo revisou para baixo a sua previsão de produção em relação ao ano anterior. Antes, projetava recuo de 9,7%. Agora, espera retração de 13,7%, para 1,090 milhão de unidades.

Também ficaram piores as previsões para as vendas do setor no varejo, que saiu de queda de 12,2% para 16,7% (1,020 milhão de unidades), e vendas no atacado, de recuo de 10,1% para 14,3% (1,020 milhão de unidades). A expectativa para as exportações foi mantida, com crescimento de 1,3%, para 70 mil unidades.