24°
Máx
17°
Min

Produtores de São Pedro do Iguaçu recebem capacitação sobre pecuária leiteira

O segundo tema foi a palestra Mercado de leite e commodities (Foto: Assessoria) - Produtores recebem capacitação sobre pecuária leiteira
O segundo tema foi a palestra Mercado de leite e commodities (Foto: Assessoria)

O dia de capacitação técnica em pecuária leiteira foi realizado em parceria Biolabore – Cooperativa de Assistência Técnica do Paraná, Secretaria de Agricultura de São Pedro do Iguaçu e Emater e ocorreu como parte da 2ª Expospi – Exposição Agroindustrial e Comercial de São Pedro do Iguaçu.

Contou com a participação de aproximadamente 100 produtores, quase que em sua totalidade residentes no município de São Pedro do Iguaçu. O principal objetivo da atividade foi de contribuir para a melhoria na qualidade da produção leiteira do município, buscando minimizar as dificuldades e fortalecer as potencialidades da propriedade rural.

Essa capacitação é parte das ações do Programa Cultivando Água Boa da Itaipu Binacional e contou ainda com o apoio da Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento.

O primeiro tema abordado foi a palestra: prevenção, controle e causas da mastite no gado, que teve como palestrante a mestranda em zooctecnia pela Unioeste (Marechal Cândido Rondon), Cibele Regina Schneider, que faz parte do Grupo Qualhada da Unioeste, de coordenação a Professora Dr.ª Maximiliane Alavarse Zambom, parceiros importantes da agricultura familiar da região oeste do Paraná.

O segundo tema foi a palestra Mercado de leite e commodities, com a médica veterinária Karine Adria.

Após o intervalo do almoço tivemos a palestra sobre sanidade animal com o médico veterinário Gilmar Jorge Vieira, da Adapar – Agência de Defesa Agropecuária do Paraná. E finalizando os trabalhos do dia a palestra sobre manejo de ordenha, novamente com a zootecnista Cibele Regina Schneider.

De acordo com o engenheiro agrônomo especializado em gestão ambiental e desenvolvimento sustentável, técnico da Biolabore, Marcos Rogério da Silva Alves dos Santos, os temas abordados vieram de encontro às necessidades dos produtores, visto que a mastite é um problema que prejudica muito a produção. 

“Cuidados de higiêne e limpeza, aliados a um manejo correto dos animais reduzem esses problemas.  Além disso, os cuidados são fundamentais  por estarmos num período de instabilidade climática e de comércio para o produtor rural. Foram apresentados fatores que diminua as dificuldades nesse período”, conta o técnico.

Outros temas sobre sanidade animal também foram abordados como doenças da febre aftosa, brucelose, raiva, entre outras e quais os procedimentos que o produtor deve tomar em cada uma das situações. 

“Apresentamos também o Programa Cultivando Água Boa e sua importância para o município, além das ações que já foram realizadas”, finaliza Marcos Rogério.

Colaboração: Assessoria de imprensa