22°
Máx
17°
Min

Programa de Proteção ao Emprego tem adesão de mais 17 empresas

O Ministério do Trabalho e da Previdência Social (MTPS) informou que mais 17 empresas aderiram formalmente ao Programa de Proteção ao Emprego (PPE). Os termos foram publicados nesta quarta-feira, 24, e autorizam o cadastramento de 6.123 trabalhadores, elevando o número de total de beneficiários para 52.876.

As empresas que aderem ao PPE podem reduzir a jornada de trabalho dos empregados em até 30%, sem que o trabalhador tenha uma redução salarial no mesmo nível. Isso porque metade da diminuição da jornada é bancada pelo governo, com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), enquanto a outra metade é negociada entre funcionários e empresa. O PPE foi criado pelo governo em julho do ano passado para evitar demissões nas empresas que enfrentam dificuldades financeiras.

Os termos publicados hoje envolvem companhias dos setores industrial, automobilístico, comercial, de educação e de serviços, espalhadas por cinco Estados (Amazonas, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo). Com as novas inclusões, o número de empresas participantes sobe para 89.

Novos pedidos

A fabricante de autopeças Dana informou que 1.100 trabalhadores de sua unidade em Gravataí, no Rio Grande do Sul, concordaram em aderir ao PPE, pelo período de seis meses. No início do ano, os funcionários das unidades de Diadema e Sorocaba também aprovaram a adesão. A empresa, no entanto, ainda não teve o seu termo publicado pelo governo. O pedido de adesão ainda será enviado para avaliação do ministério.

Estão em análise 18 novos pedidos de inclusão ao programa, que podem beneficiar mais 2.547 trabalhadores. As empresas podem aderir ao PPE até o dia 31 de dezembro de 2016.