22°
Máx
16°
Min

Projeção de câmbio para fim de 2016 cai de R$ 4,00 para R$ 3,80, revela Focus

Depois de uma semana de poucas mudanças, o mercado financeiro promoveu alterações significativas para o câmbio no Relatório de Mercado Focus, divulgado nesta segunda-feira, 18, pelo Banco Central. De acordo com o documento, a cotação da moeda estará em R$ 3,80 no encerramento deste ano, e não mais em R$ 4,00, como constava até o levantamento anterior - um mês atrás, estava em R$ 4,20. Com esse deslocamento para baixo, o câmbio médio de 2016 passou de R$ 3,82 para R$ 3,72 de uma semana para outra - um mês antes, estava em R$ 4,00.

Para 2017, a mediana saiu de R$ 4,10 para R$ 4,00 de uma divulgação para a outra - quatro semanas atrás estava em R$ 4,30. Já o câmbio médio do ano que vem ficou congelado em R$ 4,02 de um levantamento para o outro - estava em R$ 4,20 um mês atrás.

O BC tem mantido integralmente a rolagem de leilões de swap cambial, que foram mais expressivos desde de 2013, por meio de ofertas apelidadas de "ração diária". Também rolou os vencimentos dos leilões de linha que venceriam em fevereiro e março. Além disso, passou a ofertar leilões de swap reverso com mais intensidade, principalmente na semana passada quando operou um volume recorde de negociações desse tipo.

Balança comercial

Com a diminuição da cotação do dólar, estão menos intensas as mudanças das expectativas para o setor externo no Relatório de Mercado Focus. Na edição divulgada nesta segunda pelo Banco Central, o superávit previsto para a balança comercial de 2016 passou de US$ 45 bilhões para US$ 45,51 bilhões. Um mês atrás, a estimativa central da pesquisa era de um saldo positivo de US$ 42,40 bilhões.

Para 2017, as estimativas seguiram em US$ 50,00 bilhões pela segunda semana seguida - o volume apontado um mês antes era de US$ 46,90 bilhões.

No caso das previsões para a conta corrente, não houve qualquer alteração das previsões. Para 2016, a mediana das expectativas continuou em um déficit de US$ 20,00 bilhões. Um mês atrás, estava em US$ 21,21 bilhões. Já para 2017, a perspectiva do mercado financeiro é de um rombo de US$ 18 bilhões, o mesmo da semana passada. Quatro semanas atrás, a perspectiva era de déficit de US$ 19,00 bilhões.

Para esses analistas consultados semanalmente pelo BC, o ingresso de Investimento Direto no País (IDP) será suficiente para cobrir esse resultado deficitário nos dois anos. A mediana das previsões para esse indicador segue em US$ 55,00 bilhões pela décima oitava semana consecutiva, no caso de 2016. Para 2017, a perspectiva de volume de entradas seguiu em US$ 55,00 bilhões como na edição anterior do boletim Focus - estava em US$ 57,50 bilhões um mês atrás.

Para o BC, as transações correntes terão um déficit de US$ 25 bilhões em 2016, menor do que o esperado antes. Para a balança comercial, a nova expectativa é de superávit de US$ 40 bilhões e, para o IDP, o BC manteve a previsão de ingresso de US$ 60 bilhões este ano.