28°
Máx
17°
Min

Projeção para Selic no fim de 2016 passa de 12,75% para 12,88% ao ano

O mercado financeiro revisou para cima as expectativas para a taxa básica de juros da economia para este ano. O Relatório de Mercado Focus, divulgado nesta segunda-feira pelo Banco Central (BC), projeta que a taxa Selic encerrará 2016 em 12,88% ao ano (a.a.), contra 12,75% ao ano previstos na semana passada. Apesar da alta, o valor ainda está mais baixo que a projeção feita há quatro semanas, quando estava em 13,25% a.a..

Na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), o colegiado manteve a Selic inalterada em 14,25% a.a., em decisão unânime. O foco do Banco Central para a meta de inflação é o ano de 2017. Para o ano que vem, o mercado espera que a taxa Selic termine o ano em 11,25% a.a., contra a projeção de 11,38% a.a. da semana passada - há quatro documentos estava em 11,75% a.a..

Entre os economistas que mais acertam as projeções para o rumo da taxa básica de juros, o grupo Top 5 no médio prazo, a estimativa para 2016 caiu de 13,75% a.a. para 13,50% a.a.. Um mês atrás, a mediana das projeções estava em 13,38% a.a.. Já para 2017, a previsão é que a taxa encerre o ano em 12,00% a.a., contra 12,25% a.a. projetado no último documento e também quatro semanas atrás.

Setembro

O mercado financeiro manteve a expectativa de que o Comitê de Política Monetária (Copom) vai baixar a taxa básica de juros em 0,5 ponto porcentual em setembro. A taxa, hoje em 14,25% ao ano (a.a.), sofreria um novo corte de 0,5 p.p. em outubro, chegando a 13,25% a.a. - mesma avaliação vista no Relatório de Mercado Focus da semana passada. Para dezembro, entretanto, os analistas mudaram a previsão. A média das projeções agora aponta para uma taxa de 12,88% a.a. ao final do ano, e não mais em 12,75% a.a., conforme revelou há pouco a abertura de dados do boletim do Banco Central.

Em suas publicações, o BC vem reiterando que, no momento, não há espaço para flexibilização da política monetária. Na última reunião do Copom, o colegiado manteve a Selic inalterada em 14,25% a.a., em decisão unânime.

As projeções mostram que a Selic iria para 12,25% a.a. em janeiro de 2017, contra previsão anterior de 12,50% a.a.. A taxa ficaria a 12,25% a.a. em fevereiro e 12,00% a.a. em março do ano que vem. Em abril, a taxa ficaria em 11,75% a.a..

Top 5

Entre os economistas que mais acertam as projeções, o chamado Top 5, foi mantida a expectativa de que a taxa será cortada em 0,25 pp em setembro, indo a 14,00% a.a.. Já em outubro, a Selic chegaria a 13,50% a.a., ante 13,75% a.a. da semana passada. A taxa iria a 13,25% a.a. em janeiro do ano que vem, 13,00% a.a. em março e 12,75% a.a. em abril.

Próximos anos

A abertura dos números apresentada há pouco pelo Banco Central mostra ainda que o mercado espera que a Selic encerre 2017 em 11,25% a.a., ante previsão de 11,38% a.a. da semana passada. Em 2018, a projeção ficou mantida em 10,75% a.a.. Em 2019, a taxa subiu de 10,38% a.a. para 10,50% a.a.. Já em 2020, a Selic ficaria em 10,00% a.a., mesmo valor da semana passada.

Câmbio

O mercado financeiro revisou mais uma vez as estimativas para o comportamento do dólar neste ano. De acordo com o Relatório de Mercado Focus divulgado pelo BC, a moeda norte-americana deve chegar em 31 de dezembro comercializada a R$ 3,65, contra R$ 3,67 do levantamento da semana passada. Um mês antes, a mediana das previsões apontava para um patamar de R$ 3,72. O câmbio médio de 2016 ficou mantido em R$ 3,63 - há um mês estava em R$ 3,66.

Para o encerramento de 2017, a mediana das estimativas para o dólar caiu de R$ 3,88 para R$ 3,85 - estava em R$ 3,91 há um mês. O ponto central da pesquisa para a cotação média de 2017 caiu de R$ 3,83 para R$ 3,81 - um mês antes estava em R$ 3,90.