28°
Máx
17°
Min

Projeção para Selic no fim de 2016 segue em 13,00% aa

Houve apenas uma pequena mudança no Relatório de Mercado Focus para a taxa básica de juros Selic, mesmo depois de a ata do Comitê de Política Monetária (Copom) trazer pela primeira vez a sua projeção para IPCA de 2017 no centro da meta. No documento divulgado nesta segunda-feira, 20, pelo Banco Central, a mediana das expectativas para a taxa básica de juros de 2016 continuou em 13,00% aa, como na semana passada. Um mês atrás estava em 12,75% ao ano. Atualmente, a taxa está em 14,25% ao ano.

Para o encerramento de 2017, as estimativas para a Selic continuaram em 11,25% ao ano pela terceira semana seguida. Quatro levantamentos atrás, estavam em 11,38% aa. No caso da Selic média, a mediana das previsões continuou em 13,97% para o horizonte de 2016 ante 13,88% de quatro semanas atrás. Já para 2017, a mediana do mercado para a Selic média subiu de 11,65% para 11,67% - um mês antes estava em 11,75% ao ano.

Nas estimativas do grupo dos analistas consultados que mais acertam as projeções, o chamado Top 5 da pesquisa Focus (médio prazo), houve manutenção para a taxa no fim deste ano, em 13,75% aa como já era apontado na semana passada assim como um mês atrás. Para 2017, a mediana permaneceu em 11,25% aa, conforme a edição anterior do boletim Focus - um mês antes, estava em 12,25% AA.

2017

Num movimento já iniciado na semana passada, o mercado financeiro ficou ainda mais conservador em relação à expectativa para a taxa básica de juros Selic em 2017, como mostra a abertura do Relatório de Mercado Focus, divulgada pelo BC. Apesar disso, a taxa projetada para dezembro está menor do que a do levantamento anterior e também está mais baixa do que mostra a pesquisa principal, divulgada mais cedo. Essa discrepância de informações, como explicou a assessoria de imprensa do BC para o Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, pode se dar porque algumas instituições fazem as projeções anuais, e não as mensais, ou vice-versa.

Para este ano, quando haverá ainda mais quatro reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom), nada mudou em relação à semana passada, quando algumas alterações já tinham sido reveladas: a previsão é a de que a taxa ficará no patamar atual de 14,25% ao ano (aa) no encontro de julho (o primeiro capitaneado pelo presidente Ilan Goldfajn) e cederá para 14,00% AA no de setembro. Em outubro, será reduzida para 13,50% aa e, em dezembro, para 13,00% aa.

Para 2017, a expectativa apresentada nessa apuração divulgada hoje passou de 12,50% para 12,75% aa em janeiro, permaneceu em 12,25% ao ano em fevereiro, em 12,00% em março e em 11,75% AA em abril. No caso de maio, a taxa apontada agora também é de 11,75% ao ano ante 11,50% vista na semana passada. Só em junho, conforme a pesquisa atualizada hoje, é que a Selic chegará a 11,50% aa. Em julho, também ficará no mesmo nível - no levantamento anterior, já estava em 11,25% aa.

Em agosto e em setembro foi mantida a estimativa de uma taxa em 11,25% aa e, em outubro e novembro, permaneceu a mediana das previsões em 11,00% aa já vista na semana passada. Já para dezembro, a abertura das projeções mostra uma Selic em 11,13%, e não mais em 11,38% aa, como na edição anterior. Na estimativa mais antiga, a mediana embutia uma divisão do mercado entre 11,25% e 11,50% e agora o dissenso é entre 11,00% e 11,25% ao ano. Na pesquisa geral, a mediana seguiu em 11,25% aa, como na semana passada.

Vale lembrar que, no caso de 2017, há previsões para todos os meses porque o BC ainda não divulgou o calendário de reuniões do Copom do ano que vem, o que deve ser feito ainda este mês.