24°
Máx
17°
Min

Puxado por bancos, Ibovespa fecha em baixa de 0,65%

Depois de ter enfrentado alguma volatilidade pela manhã, o Índice Bovespa teve uma tarde de oscilações contidas e fechou em baixa de 0,65%, aos 53.561,53 pontos, nesta segunda-feira. 2. O volume de negócios totalizou R$ 5,85 bilhões, bem abaixo da média diária de abril (R$ 8,33 bilhões).

Os negócios com ações foram influenciados principalmente pelo desempenho negativo do setor financeiro. Com forte participação na carteira do Ibovespa, as ações de grandes bancos recuaram durante todo o dia, influenciadas principalmente pela notícia do pedido de recuperação judicial da Sete Brasil, que fez surgir o temor da necessidade de um aumento de provisões.

O setor bancário já vinha sofrendo desde a semana passada, quando o resultado trimestral do Bradesco mostrou aumento de provisões por conta de créditos com risco de default. As quedas foram lideradas por Itaú Unibanco PN, que recuou 2,77%, seguida por Banco do Brasil ON (-2,53%) e Bradesco PN (-1,97%).

Com o feriado na China, não houve negociação com o minério de ferro. Ainda assim, as ações da Vale oscilaram intensamente, ao sabor da volatilidade dos índices de metais e das ações de outras empresas mineradoras pelo mundo. Ao final dos negócios, Vale ON subiu 0,91%, enquanto Vale PNA recuou 0,70%. Com os contratos futuros de petróleo em forte queda, as ações da Petrobras operaram sem tendência definida durante todo o dia. No fechamento, as preferenciais terminaram em baixa de 0,59%, enquanto as ordinárias ficaram estáveis.