27°
Máx
13°
Min

Receita consolidada do Grupo Pão de Açúcar cresce 3% no 1º tri, para R$ 17,7 bi

O Grupo Pão de Açúcar (GPA) apurou receita líquida consolidada de R$ 17,754 bilhões no primeiro trimestre de 2016, resultado 3% mais alto que o do mesmo período do ano anterior. A receita cresceu 10,9% no varejo alimentar, que compreende as bandeiras Extra, Pão de Açúcar e Assaí. Nesse negócio, a receita atingiu R$ 9,888 bilhões entre janeiro e março.

O crescimento mais forte foi o do Assaí. A bandeira que opera o formato conhecido como "atacarejo" cresceu 36,2% na comparação anual, terminando o trimestre com R$ 3,148 bilhões de receita líquida.

O GPA afirmou que o crescimento do Assaí já faz com que ele seja mais representativo no total das vendas do varejo alimentar do que os hipermercados. Esse cenário marca uma mudança na composição das vendas já que, até o final de 2015, os hipermercados da bandeira Extra tinham um peso maior no total. No último ano, os hipermercados tiveram queda nas vendas em meio à migração dos consumidores para o atacado de autosserviço.

No critério mesmas lojas, que considera apenas os pontos de venda abertos há mais de um ano, as vendas consolidadas do GPA subiram 0,8% na comparação com o ano anterior. Já o varejo alimentar reportou alta de 6% nas vendas mesmas lojas.

A companhia afirma que o crescimento das vendas mesmas lojas foi beneficiado por um efeito de calendário. Este ano, a Páscoa ocorreu ainda no primeiro trimestre, em março, quando no ano anterior o evento havia acontecido em abril.

Ajustado pelo efeito calendário, as vendas mesmas lojas do segmento alimentar teriam crescido 3,1%, segundo informou a companhia. Esse ritmo, destacou a empresa, está em linha com o crescimento ajustado do mesmo trimestre de 2015, o que foi apontado como um ponto positivo "diante de um contexto de consumo afetado pela desaceleração econômica".

Via Varejo

A Via Varejo, empresa de comércio de eletroeletrônicos do Grupo Pão de Açúcar, reportou queda de 12,7% na receita líquida no primeiro trimestre de 2016 na comparação com igual período do ano anterior. A companhia apurou R$ 4,704 bilhões de receita entre janeiro e março deste ano.

Apesar do resultado negativo, o GPA considerou que houve melhorias na Via Varejo, dona das marcas Casas Bahia e Pontofrio. Segundo o grupo, a empresa teve ganho de participação de mercado.

As vendas no critério mesmas lojas, que consideram apenas os pontos de venda abertos há mais de um ano, recuaram 11,8% no primeiro trimestre. Ainda assim, o GPA considerou que houve evolução. No mês de janeiro, a queda nas vendas mesmas lojas havia sido de 25%, informou a empresa. Já em fevereiro e março esse recuo foi menor, de 3,1%.

Depois de ter fechado 50 lojas em 2015, a Via Varejo seguiu com o fechamento de pontos de venda de baixo desempenho, informou o grupo. Não foram informadas, porém, quantas lojas foram encerradas no início de 2016.

Além dos fechamentos que miram redução de despesas, o GPA destacou que a Via Varejo segue com uma estratégia de competitividade de preços e ofertas. Ainda segundo a empresa, o desempenho do trimestre foi ajudado por revitalizações de lojas, que passaram a ter mais destaque para as vendas de itens de telefonia. Nessas lojas, as vendas de telefonia ficaram 17,9 pontos porcentuais acima da média, disse a empresa.