28°
Máx
17°
Min

Receita de vendas no varejo teve queda de 3,1% em junho ante junho de 2015

O Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) teve queda anual de 3,1% em junho, descontada a inflação do período. Trata-se de uma desaceleração do indicador em relação ao resultado de maio (-6,1%), mas a melhora também foi influenciada pelo efeito calendário, já que neste ano o Corpus Christi não caiu em junho. Ajustado por esse fator, o índice recuou 3,3% em junho, de -4,5% em maio. No acumulado do primeiro semestre, a baixa foi de 5%.

Em termos nominais, a receita de vendas do setor cresceu 5,2% no mês passado sobre junho de 2015.

Na série ajustada pela inflação, o segmento de "vestuário" melhorou o desempenho, assim como "materiais de construção", apesar de ambos permanecerem em queda. Já "supermercados e hipermercados", "postos de combustível", "drogarias e farmácias" ficaram estáveis. O setor de "alimentação em bares e restaurantes" continua entre as maiores quedas, acentuando a retração ante o registrado no mês anterior.

Em junho, novamente, todas as regiões brasileiras apresentaram retração no varejo pelo índice deflacionado. A maior queda foi no Norte (-7,4%), seguido do Centro-Oeste (-3,4%), Sudeste (-2,9%), Nordeste (-2,5%) e Sul (-2,3%).

O ICVA acompanha a evolução do varejo de acordo com a receita de vendas, com base em um grupo de mais de 20 setores, de pequenos lojistas a grandes varejistas. O peso de cada setor dentro do resultado geral é definido pelo seu desempenho no mês. O indicador foi desenvolvido com base nas vendas realizadas em 1,8 milhão de pontos de venda ativos credenciados pela companhia.