28°
Máx
17°
Min

Receita líquida total da indústria de máquinas cresce 4,1% em maio, diz Abimaq

A receita líquida total do setor industrial de máquinas e equipamentos fechou o mês de maio em R$ 5,523 bilhões, conforme balanço divulgado nesta quarta-feira, 29, pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). O resultado é 4,1% maior do que o montante registrado em abril.

Na comparação com maio de 2015, há queda de 28,8%. No acumulado do ano até maio, a receita líquida total do setor caiu 30,7%, para R$ 27,129 bilhões ante o mesmo período do ano passado.

O consumo aparente em maio atingiu R$ 7,898 bilhões, valor 1,4% maior que o apurado em abril. Na comparação com maio do ano passado, o consumo aparente recuou 32,2% e no acumulado do ano, diminuiu 32,1%, para R$ 41,015 bilhões.

Ainda segundo a Abimaq, as exportações de máquinas e equipamentos em maio somaram US$ 695,92 milhões. O valor é 2% superior da cifra embarcada em abril. Na comparação com maio do ano passado, as exportações subiram 9,9% e no acumulado do ano até maio, a alta foi de 0,9%, totalizando receita de US$ 3,295 bilhões.

Já as importações somaram US$ 1,199 bilhão em maio, leve queda de 0,8% na comparação com abril. Na comparação com maio de 2015, a diminuição chegou a 25% e no acumulado do ano até maio houve retração de 30,4%, para US$ 6,078 bilhões, na comparação com igual período do ano passado.

Com isso, o saldo da balança comercial do setor ficou negativo em US$ 503,11 milhões em maio. O resultado foi 4,3% inferior ao registrado em abril e 47,8% menor do que o mesmo mês do ano passado. No acumulado dos cinco primeiros meses do ano, a balança comercial acumula queda de 49,1%, com saldo negativo de US$ 2,782 bilhões, em relação ao mesmo período de 2015.

O quadro de empregados do setor ficou estável em maio em relação a abril em 308,716 mil trabalhadores. Na comparação com maio do ano passado, o emprego na indústria de máquinas e equipamentos recuou 10,4% e no acumulado do ano até maio caiu 12% ante o mesmo período em 2015.

Por sua vez, o Nuci, que mede o nível de utilização da capacidade instalada na indústria de máquinas e equipamentos, ficou em 68,9% em maio, 2,3% maior do que o verificado em abril, quando ficou em 67,3%. Nos primeiros cinco meses do ano, o Nuci ficou em 66,6%, em média, queda de 3% ante o mesmo período do ano passado. A carteira de pedidos de maio recuou 6,3% na comparação com abril e diminuiu 9,4% ante maio de 2015.