24°
Máx
17°
Min

Reino Unido deve crescer 2,0% em 2016, de 2,4% antes previstos, diz Osborne

O ministro das Finanças do Reino Unido, George Osborne, anunciou um corte nas projeções oficiais para o crescimento econômico do país, em meio a uma perspectiva mais fraca para o crescimento global. Osborne afirmou, porém, que continua a caminho de conter o déficit orçamentário do país.

Osborne apresentou seu plano orçamentário para o Parlamento nesta quarta-feira. Segundo ele, a economia britânica enfrenta "um coquetel de riscos", diante da expectativa mais fraca para o crescimento global. "Os mercados financeiros estão turbulentos. O crescimento da produtividade no Ocidente é muito fraco. E a perspectiva para a economia global é fraca. Isso gera um coquetel perigoso de riscos", afirmou a autoridade. Segundo ele, porém, a economia do país está bem preparada para lidar com isso.

O Escritório de Responsabilidade Orçamentária, órgão de monitoramento fiscal do Reino Unido, cortou as projeções de crescimento para os próximos quatro anos do país. Agora, prevê crescimento de 2% neste ano, abaixo dos 2,4% antes esperados. A projeção indica ainda crescimento de 2,2% em 2017, 2,1% em 2018 e também 2,1% em 2019. A expectativa de inflação ao consumidor é de 0,7% em 2016 e de 1,6% em 2017.

Osborne disse que identificou economias nos gastos do governo no total de 3,5 bilhões de libras (US$ 4,9 bilhões) até o ano fiscal que se encerra em 2020. O órgão prevê superávit de 10,4 bilhões de libras no ano fiscal que termina em 31 de março de 2020, disse a autoridade.

O discurso é feito antes da votação popular em 23 de junho sobre se o Reino Unido deve seguir na União Europeia. Osborne e o primeiro-ministro David Cameron, seu aliado, querem que o país siga no grupo, mas muitos no governista Partido Conservador mostram ceticismo.

Visto como possível sucessor de Cameron, Osborne rechaçou críticas, dizendo que equilibrar as contas é necessário para o país. Fonte: Dow Jones Newswires.