23°
Máx
12°
Min

Reino Unido oferece ajuda para atrair pretendentes para Tata Steel

O governo britânico disse que vai ajudar a indiana Tata Steel a garantir um comprador para suas unidades em dificuldades no Reino Unido fornecendo ajuda a qualquer potencial comprador. A Tata Steel, segunda maior siderúrgica da Europa em capacidade de produção, informou na semana passada que estava analisando a venda de seu negócio no Reino Unido, que inclui a maior usina siderúrgica britânica, em Port Talbot, no País de Gales.

O secretário de Negócios do Reino Unido, Sajid Javid, disse ao British Broadcasting Corp. neste domingo que o governo faria "tudo que puder para manter a siderúrgica em Port Talbot e para ajudar aqueles trabalhadores". Segundo ele, a nacionalização não era a resposta, mas o governo poderia oferecer apoio estatal para ajudar a atrair um comprador.

Os comentários do secretário acontecem num momento em que o governo enfrenta críticas por não fazer mais para apoiar o setor em crise, que tem lutado por causa de um excesso de oferta mundial do aço e dos altos custos de fabricação no Reino Unido. Na União Europeia, as importações de aço da China, maior produtor mundial, mais do que dobraram nos últimos dois anos, enquanto a demanda continua a pairar abaixo dos altos níveis observados antes da crise financeira de 2008. Isso levou a um colapso nos preços do aço nos últimos dois anos.

As siderúrgicas da Grã-Bretanha também têm lutado para ficar competitivas, dado os altos custos da energia, que são 90% maiores, em média, no país do que na UE para grandes consumidores de energia, de acordo com grupo UK Steel. Isso se deve, em grande medida, a impostos verdes.

Javid disse que iria dar apoio à indústria siderúrgica do Reino Unido em custos de energia e iria introduzir medidas para garantir que as siderúrgicas britânicas são consideradas nos contratos com o governo. O Ministério da Defesa britânico reconheceu no ano passado que uma grande parte do aço necessário para pedidos de veículos blindados e de três navios de patrulha da Marinha Real viriam da Suécia.

Até agora, a Tata Steel atraiu dois interessados nas operações no Reino Unido, que empregam cerca de 15 mil pessoas e responderam por cerca de 70% da produção doméstica no ano passado.

A trader britânica focada em commodities Liberty House, que no mês passado adquiriu duas usinas escocesas da Tata Steel, disse que estaria interessada em comprar mais operações de processamento de produtos acabados do grupo indiano - mas não seus alto fornos - dependendo do nível de apoio governamental.

A Tata Steel reafirmou neste sábado que ainda está em negociações para a venda de seu negócio de aços longos no Reino Unido e uma usina de aço na França para a Greybull Capital LLP.

Uma das dificuldades de qualquer potencial venda envolve a transferência do déficit previdenciário crescente da Tata Steel no Reino Unido, de US$ 690 milhões. Fonte: Dow Jones Newswires