20°
Máx
14°
Min

Rio Tinto dobra prazo para pagamento de fornecedores para preservar caixa

Londres, 09 (AE) - A Rio Tinto alterou suas condições de pagamento, em uma medida que pode levar seus fornecedores a ter que esperar até 90 dias para receber o que lhe é devido. A medida, de acordo com o porta-voz da mineradora, busca melhorar o fluxo de caixa da empresa.

"Essa iniciativa destina-se a liberar caixa e reduzir o capital de giro, de modo que possamos preservar e manter os empregos e fornecedores em um ambiente global difícil para commodities", explicou o porta-voz neste sábado.

A decisão foi tomada depois que a mineradora anglo-australiana apresentou em fevereiro um prejuízo de US$ 866 milhões em 2015, o que motivou a adoção de nova rodada de medidas para liberar caixa e reduzir o capital de giro.

Conforme o porta-voz, a Rio Tinto trabalha com os bancos para usar seu forte rating de crédito para obter linhas de financiamento que ajudarão fornecedores na transição para prazos de pagamento mais longos. A condição anteriormente estipulada era de 45 dias.

"Esse programa está sendo testado com vários fornecedores em nossos negócios de alumínio, e nós pretendemos torná-lo amplamente disponível a partir da meados de 2016", esclareceu o porta-voz do grupo. "Nossa meta é continuar sendo parceiro de negócios confiável para nossos clientes e fornecedores, enquanto tocamos um negócio forte para os acionistas e para as partes interessadas", acrescentou.

A nova política se aplica a todos os fornecedores com contratos que envolvam mais de 3 milhões de dólares australianos (US$ 2,3 milhões) cada. Aqueles com contratos de menos de 3 milhões de dólares australianos serão pagos dentro de 60 dias.

Em fevereiro, a Rio Tinto também anunciou corte na distribuição de dividendos e admitiu ter interpretado de forma equivocada a demanda chinesa por commodities, sinalizando uma nova fase de retornos mais baixos para investidores na área de mineração.

A empresa anglo-australiana desembolsou bilhões de dólares na expansão de suas minas e de sua produção nos últimos anos, mas os negócios foram afetados pela desaceleração da economia chinesa, o que comprometeu a demanda por commodities em um momento de expansão da capacidade produtiva da mineradora. Fonte: Dow Jones Newswires.