22°
Máx
14°
Min

Rússia diz que acordo na Opep para congelar produção de petróleo não é garantido

O ministro da Energia da Rússia, Alexander Novak, afirmou a agências de notícias nesta quarta-feira que não estava claro se os países produtores de petróleo conseguirão chegar a um acordo para congelar a produção. Segundo ele, porém, essa medida pode ser menos necessária, nos próximos meses.

"Eu não diria agora que temos certeza de que seremos capazes de concordar entre nós, porque há posições muito diversas", afirmou Novak. Na opinião dele, porém, não se pode qualificar como um fracasso a reunião de domingo em Doha, quando produtores não conseguiram chegar a um acordo para congelar a produção. De qualquer modo, Novak lembrou o fato de a Arábia Saudita ter mudado de posição no último momento, o que impediu um acordo.

Novak disse que a Rússia não tinha planos de realizar encontros no próximo mês em separado com outros países, como Irã e Arábia Saudita, e também que ainda não havia recebido um convite para a reunião de junho da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). Segundo o ministro, deve diminuir nos próximos meses a necessidade de congelar a produção.

"Fatores de mercado terão seu papel e o equilíbrio da demanda e da oferta mudará", afirmou Novak. "Eu não excluo que até junho isso será irrelevante."

O ministro disse ainda que a produção da própria Rússia pode superar os 540 milhões de toneladas de petróleo, apesar de declarações na semana passada de que a produção neste ano e no próximo deveria ficar estável em 537 milhões de toneladas. Fonte: Dow Jones Newswires.