21°
Máx
17°
Min

Saída de dólares supera entrada em US$ 7,913 bi no ano até dia 20 de maio

O fluxo cambial do ano até o dia 20 de maio ficou negativo em US$ 7,913 bilhões, após saldo negativo de US$ 6,085 bilhões visto até o dia 13, conforme divulgou nesta quarta-feira, 25, o Banco Central. Em igual período do ano passado, as entradas superaram os envios em US$ 17,075 bilhões. No início de 2015, os investidores estavam animados com a nova composição da equipe econômica, liderada pelo então ministro da Fazenda, Joaquim Levy.

A retirada de dólares pelo canal financeiro neste ano até o dia 20 de maio foi de US$ 26,720 bilhões. Esse resultado no ano é fruto de entradas no valor de US$ 167,387 bilhões e de envios no total de US$ 194,107 bilhões. Este segmento reúne os investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

Já no comércio exterior, o saldo anual acumulado ficou positivo em US$ 18,806 bilhões até o mesmo dia, com importações de US$ 46,172 bilhões e exportações de US$ 64,978 bilhões. Nas exportações estão incluídos US$ 12,206 bilhões em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 17,616 bilhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 35,155 bilhões em outras entradas.

Maio

No acumulado de maio até o dia 20, o fluxo total ficou negativo em US$ 4,066 bilhões. Nesse universo, está incluído o resultado negativo de US$ 9,827 bilhões no fluxo financeiro e o dado positivo de US$ 5,761 bilhões no fluxo comercial.

Esses dados já haviam sido anunciados na terça-feira, 24, pelo chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel, durante entrevista coletiva sobre as transações correntes de abril.

Semana

O fluxo cambial dos dias 16 a 20 de maio ficou negativo em US$ 1,828 bilhão, conforme divulgou nesta quarta o Banco Central. A retirada de dólares pelo canal financeiro foi de US$ 3,573 bilhões no período, resultado de entradas no valor de US$ 7,312 bilhões e de envios no total de US$ 10,885 bilhões. Este segmento reúne os investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

Já no comércio exterior, o saldo ficou positivo em US$ 1,745 bilhão no período, com importações de US$ 2,062 bilhões e exportações de US$ 3,807 bilhões. Nas exportações, estão incluídos US$ 731 milhões em ACC, US$ 952 milhões em PA e US$ 2,124 bilhões em outras entradas.