22°
Máx
16°
Min

Seleção a Banco Postal permite consórcio e define valor mínimo na 1ª parcela

O processo de seleção de novos parceiros para prestar serviço de correspondente bancário ao Banco Postal, dos Correios, permitirá participação de consórcios formados por até duas instituições financeiras. Essa é uma das novidades do edital para a escolha do parceiro que substituirá o Banco do Brasil, cujo contrato prestado desde 2011 vencerá em 2 de dezembro próximo. Ainda conforme nota dos Correios à imprensa, a abertura do processo a consórcios aumenta as chances de participação de instituições de menor porte.

Também foi estabelecido valor mínimo de acesso ao negócio, de R$ 600 milhões para a primeira parcela e mesmo montante para a segunda, que deverá ser paga no início do sexto ano da operação. Outros critérios para a definição da proposta vencedora são valores de tarifas por transação repassados aos Correios e bônus a serem pagos às agências postais que executarem maior volume de transações. A reunião para abertura das propostas ocorrerá no dia 14 de novembro.

O novo contrato terá prazo de dez anos, prorrogável por até mais dez. "Há a possibilidade de expansão dos serviços de correspondente do Banco Postal para as agências franqueadas dos Correios em todo o país, além de prever a preferência à instituição vencedora na realização de estudos conjuntos para constituição de uma instituição financeira própria e na exploração de negócios nos segmentos de seguros, consórcios e títulos de capitalização", explica a nota.

Após assinado o novo contrato, o início efetivo das operações deve ocorrer no prazo máximo de seis meses.