22°
Máx
17°
Min

Selo Alimentos do Paraná vai contemplar 43 novas empresas no Estado

Micro e pequenas indústrias, agroindústrias e distribuidoras de alimentos e bebidas do Paraná recebem no dia 13 de abril, às 16h30, na Expotrade de Pinhais, durante a Mercosuper 2016, os atestados de conformidade do Selo Alimentos do Paraná. Nesta segunda edição do programa, mais 43 empresas serão beneficiadas com a chancela, que comprova não só eficiência na gestão de processos, de acordo com as exigências legais de segurança e qualidade alimentar, mas também na gestão empresarial, dentro do Modelo de Excelência da Gestão (MEG), da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ).
Promovido pelo Sebrae/PR, em parceria com a Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), tendo como avaliador o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), o Programa Alimentos do Paraná tem como objetivo melhorar os processos produtivos, aprimorar a qualidade e incentivar boas práticas de gestão em empreendimentos de micro e pequeno porte do segmento de alimentos e bebidas. Na primeira edição, realizada no ano passado, 23 empresas conquistaram o Selo. Ao atestar a qualidade dos processos e da gestão empresarial, o Selo torna essas empresas mais aptas a ações de mercado e prospecção de clientes.
Gestora do programa no Estado, a consultora do Sebrae/PR Andreia Claudino explica que, para conquistar o Selo, é necessário alcançar, pelo menos, 80% de conformidade em cada um dos cinco itens da metodologia baseada na legislação sanitária vigente e 50 pontos ou mais no MEG. A validação do processo é feita pelo Tecpar. 

“O programa dura de três a dez meses, mas, em média, em seis meses, as empresas conseguem melhorar significativamente e ter uma evolução de mais de 40% em sua qualidade produtiva”, detalha.

Para participar do programa, as empresas precisam apresentar o chamado perfil de potencialização, ou seja, possibilidade de se tornar alto potencial ou classe mundial. Isso significa empresas com interesse e condições para aprimorar produtos, processos e gestão, a ponto de tornarem-se aptas a negociações com o mercado internacional. “Nenhuma empresa que conquistou o Selo até hoje, finalizou o programa da mesma forma que entrou, todas têm evolução”, garante Andreia.

Neste ano, serão premiadas empresas que obtiveram os maiores índices de conformidade nas categorias: Alimentos Prontos e Pré-Prontos, Bebidas, Origem Animal e Origem Vegetal. Chanceladas com o Selo Alimentos do Paraná, essas empresas têm um ano para se beneficiarem com as atividades de mercado fomentadas pelo programa. Ao final do período, uma nova auditoria, proporcionará continuidade das ações, caso os bons índices sejam mantidos ou ampliados. 

Atividades de mercado

Após a cerimônia de entrega dos atestados de conformidade no Sebrae/PR, as empresas participarão de uma apresentação especial na Mercosuper para cerca de 70 minimercados paranaenses, participantes do Projeto Top Loja, parceria da Fecomércio e do Sebrae/PR. “Elas serão apresentadas como potenciais fornecedores para esses mercados, com garantia de rastreabilidade, segurança alimentar e aspectos de gestão. Além disso, essas empresas comporão um catálogo que será divulgado durante toda a feira, no estande do Sebrae/PR com a Fecomércio”, conta Andreia. 

Também no dia 13 de abril, uma nova formação do comitê gestor do Programa Alimentos do Paraná será oficializada. Além da Fiep e do Sebrae/PR, Fecomércio, Apras e Abrasel passam a compor o grupo, que tem entre suas responsabilidades divulgar o programa, assegurar a qualidade das atividades e promover ações para prospecção de mercado. 

Entre as demais ações de mercado previstas no programa, está uma chamada publicada no dia 22 de março no portal do Sebrae/PR, para participar de um estande na feira Fispal Food Service, em São Paulo, além de rodadas de negócios nas seis regionais do Estado. 

“Serão rodadas com as empresas que receberam o Selo em 2015 e neste ano, um total de 66 empresas. Essas rodadas ocorrem em Londrina, Maringá, Cascavel, Pato Branco, Ponta Grossa e Curitiba, sempre no Sebrae, das 14 às 18 horas”, adianta a consultora. 

Experiência  positiva

Participante da primeira edição do Programa Alimentos do Paraná, Ademir Romani comemora a melhoria no contato com os clientes da Salumeria Romani, a partir das ações de mercado proporcionadas. “Foi uma ajuda enorme, estávamos meio esquecidos aqui, ‘no meio do mato’. Depois de um evento que participamos no Rio de Janeiro, dentro do programa, conseguimos clientes expressivos no Rio e em São Paulo, como os hotéis do Grupo Fasano e o Mercado Municipal de São Paulo”, conta. 

Localizada em Mandirituba, na Região Metropolitana de Curitiba, a salumeria é uma empresa familiar (são seis pessoas trabalhando, quatro da família e dois contratados), que tem em seu catálogo 16 produtos nobres, como o tradicional presunto tipo Parma. A matéria-prima vem de um parceiro do município de Rio Negro, mas Romani já planeja criar os próprios suínos. “Precisam ser animais maiores, com características bem específicas. Nosso foco são produtos italianos de alto valor agregado. Estamos muito satisfeitos. Com a crise e o dólar alto, oferecemos uma alternativa aos presuntos importados”, festeja.

Colaboração Assessoria de Imprensa.