22°
Máx
17°
Min

Sem anúncios do novo governo, Bovespa segue exterior e cai 2,70%

O mercado brasileiro de ações acompanhou o mercado internacional nesta sexta-feira, 13, e ingressou num forte movimento de correções. Sem notícias concretas vindas do novo governo e com o cenário externo desfavorável, a Bovespa fechou em queda de 2,70%, aos 51.804,30 pontos e com R$ 7,52 bilhões em negócios.

A expectativa dos investidores era que o novo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, anunciasse o nome do presidente do Banco Central ou as primeiras medidas à frente da pasta. O novo ministro fez um discurso considerado positivo, mas sem anúncios concretos. Entre outros pontos, disse que um aumento da tributação pode ser necessário num primeiro momento, mas que deve ser temporário. Meirelles prometeu para segunda-feira o anúncio do nome do presidente do Banco Central e afirmou que as primeiras medidas devem ser anunciadas "no momento certo, e não para satisfazer ansiedade".

A frustração foi bem absorvida na Bovespa, segundo relataram profissionais do mercado, sem influenciar os negócios significativamente. Por outro lado, dados da economia americana e oscilações do minério de ferro e do petróleo incentivavam as ordens de venda desde a abertura. Nos EUA, as vendas no varejo aumentaram 1,3% em abril ante o mês anterior, acima da previsão de +0,8%. O índice de sentimento do consumidor passou de 89,0 na leitura final de abril para 95,8 na preliminar de maio, bem acima da previsão, de 89,0. Os sinais de aceleração da economia reacenderam a expectativa de aumento de juros nos EUA, o que fortaleceu o dólar e pressionou as commodities.

Os contratos futuros de petróleo fecharam em queda, com investidores realizando lucros após as altas expressivas dos últimos dias, além da influência do dólar. Um dia depois de anunciar um balanço considerado negativo, as ações da Petrobras seguiram o petróleo e foram destaque de queda. Petrobras ON e PN recuaram 4,64% e 3,37%, respectivamente. Vale ON (-4,92%) e Vale PNA (-5,41%) seguiram a queda de 1,7% dos preços do minério de ferro. Mesmo com as quedas de hoje, os papéis da Petrobras ainda contabilizam valorização superior a 40% no ano e os da Vale, de mais de 10%.