27°
Máx
13°
Min

'Sem reforma,faltará dinheiro para pagar os aposentados’

Segundo o economista Paulo Tafner, especialista em Previdência, a reforma da Previdência precisa cortar despesas desde já. Caso contrário, pode faltar dinheiro para pagar os aposentados lá na frente.

Como sr. vê a intenção de se fazer a reforma da Previdência neste momento?

Já passou da hora de fazer a reforma. Vou dar um dado crucial. O gasto previdenciário, mantida a regra atual, vai crescer todo ano 5% do PIB (Produto Interno Bruto). Isso significa que em 10 anos, será 60% maior. Em 15 anos, vai mais que dobrar. Os próximos 20 anos são cruciais. Haverá um intenso processo de envelhecimento. Vai entrar uma quantidade imensa de gente no sistema e não há fonte de arrecadação que banque.

Na prática, o que será isso?

Significa que pode acontecer aqui no Brasil o que aconteceu na Grécia: faltar dinheiro para pagar o aposentado. Aí você chama o cara e avisa: sabe aquele dindin que você recebe? Então, vou cortar.

O sr. defende a adoção da idade mínima para trabalhador da ativa. Por quê?

Sem isso, não haverá efeito financeiro imediato no sistema para desacelerar o crescimento do déficit. Se a regra da idade mínima valer apenas para novos trabalhadores, o efeito só virá daqui a 40 anos, quando esses trabalhadores estiverem velhos e começarem a se aposentar.

Outra medida que o sr. defende é a equiparação da idade de aposentadoria para homens e mulheres. Há quem considere injusto com as mulheres.

Por que injusto? Antigamente, as mulheres cuidavam da casa, dos filhos. Antigamente. Agora elas estão no mercado de trabalho. Além disso, as mulheres vivem muito mais que os homens. Aí vão se aposentar antes que os homens? Por que essa diferença? Não faz sentido. As pessoas precisam entender uma coisa: os últimos governos foram avestruzes e não aproveitaram um bom momento para fazer a reforma da Previdência. Não há mais tempo, nem como adotar paliativos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.