27°
Máx
13°
Min

Tarifa do gás natural em São Paulo será reduzida a partir da terça-feira, dia 31

A partir da terça-feira, 31, as tarifas do gás natural da Companhia de Gás de São Paulo (Comgás) serão reduzidas para os segmentos comercial, industrial e cogeração e, também, para as residências que consomem mais de 10 metros cúbicos por mês. A decisão foi anunciada nesta quinta-feira, 26, pela Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp) e publicada no Diário Oficial do Estado. Os porcentuais aplicados são distintos, conforme o segmento de mercado e o volume de consumo.

Os clientes do segmento residência, por exemplo, que consomem 15 metros cúbicos por mês terão uma queda de 0,7% na tarifa e os que consomem 20 metros, redução de 0,6%. Já os clientes que consomem em média 3 metros cúbicos terão uma alta de 4,8%.

Comércio

No comércio, as tarifas serão reduzidas em 0,8% para o consumo de 100 metros cúbicos ao mês. Para o consumo de 1 mil metros cúbicos, a queda será de 3,2%. Já para as unidades comerciais que consomem 10 mil metros cúbicos, a tarifa de gás natural será reduzida em 8%.

Indústria

O segmento industrial será beneficiado com quedas mais significativas. As tarifas terão diminuição de 11,3% no caso de empresas com consumo de 50 mil metros cúbicos por mês. Para as que utilizam três milhões de metros cúbicos por mês, a redução na conta de gás será de 21%. Para o segmento da cogeração, também haverá redução, que pode variar entre 15% e 21%, conforme faixa de consumo.

GNV

Já o Gás Natural Veicular (GNV) terá aumento de 2,2% nas tarifas da Comgás para o posto que comercializa o produto. O preço para o consumidor final, na hora de abastecer, é definido por cada posto.

Justificativa

O reajuste realizado pela Arsesp é resultado do alinhamento do custo de gás e repasse de valores acumulados na conta-gráfica, que tiveram significativa redução em função da queda do preço do petróleo, que é a base para os preços do gás natural. Além disto, há a correção das margens de distribuição pelo IGP-M e a aplicação do Fator de Eficiência X. Até então, o último ajuste de tarifas havia sido em maio de 2015.

"As novas tarifas anunciadas pela Arsesp reforçam a competitividade do gás natural, uma alternativa energética segura, eficiente e versátil", afirma o diretor-presidente e de Relações com Investidores da Comgás, Nelson Gomes.