26°
Máx
19°
Min

Taxas de juros caem em ritmo moderado, com sessão na Câmara no radar

Os juros futuros têm viés de baixa, porém perto da estabilidade, na última sessão antes da votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff no domingo. O investidor monitora nesta manhã de sexta-feira, 15, o início da sessão no plenário da Câmara para discutir o processo. O advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, começou a fazer a defesa da presidente.

Perto das 9h40, o DI para janeiro de 2018 estava a 13,02%, de 13,11% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2021 exibia taxa de 12,92%, de 13,04%.

Também neste manhã, manifestantes contrários ao impedimento da presidente começaram a fazer protestos em São Paulo. A Marginal Tiete chegou a ser interditada na altura da Ponte do Tatuapé, na zona Leste. Houve também protestos no Viaduto do Chá, no centro da Capital, na Ponte das Bandeiras e em algumas rodovias, como a Anchieta e a Imigrantes.

Atualização do levantamento realizado pelo Grupo Estado mostra que o número de votos a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff subiu para 343. Na quinta, o placar atingiu os 342 necessários para o afastamento da presidente. Os votos contra subiram para 127. Neste momento, há ainda 15 indecisos e 27 não responderam.