27°
Máx
13°
Min

Taxas de juros espelham temor dos mercados internacionais com Brexit

Assim como no exterior, os mercados domésticos são tomados pela aversão a risco após o Reino Unido decidir em plebiscito sair da União Europeia, no que se tornou conhecido como "Brexit". O dólar e os juros futuros começaram o dia em alta firme, enquanto o Ibovespa futuro caía ao redor de 5% nesta sexta-feira, 24. Nos DI's, a alta chegou a ser de 30 pontos nos vencimento mais longos. Depois, no entanto, tanto o dólar como os juros futuros já tinham saído das máximas.

Por volta das 9h30, O DI para janeiro de 2018 estava em 12,72%, na mínima, de 12,66% no ajuste anterior. O vencimento para janeiro de 2021 exibia 12,59%, de 12,41% no ajuste de quinta-feira, 23.

Para a economista-chefe da Rosenberg Associados, Thais Zara, o desfecho do plebiscito deve influenciar o Federal Reserve e mesmo a política monetária no Brasil. "Se a postura do Federal Reserve já era 'dovish' antes, agora será ainda mais. Qualquer aumento de juros será muito gradual", disse mais cedo em entrevista ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado.

No radar desta sexta, estão os resultados das contas do setor externo de maio (10h30) e do Caged de maio (16 horas).

Além disso, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, tem reunião às 16 horas com o embaixador do Reino Unido, Alex Ellis.