28°
Máx
17°
Min

Taxas de juros têm viés de alta com dólar, em meio à cautela externa e após ata

Os juros futuros operam com viés de alta na manhã desta quinta-feira, 16, em sintonia com o dólar, em meio à cautela no exterior. O mercado doméstico também digere a ata do Copom, que deixa claro a necessidade de melhora das condições fiscais.

Às 9h41, o DI para janeiro de 2018 estava em 12,76%, de 12,72% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2021 estava em 12,74%, de 12,67% no ajuste de quarta-feira.

Para o economista-chefe da SulAmérica Investimentos, Newton Camargo Rosa, a ata mostra que no cenário atual "não há espaço para flexibilização monetária", disse. "Para 2016, não há muito o que fazer", completou. Para 2016, a ata escreve que a estimativa do BC para o IPCA segue acima de 4,5%.

Apesar de ter voltado a subir, depois de 15 meses em queda, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) de abril não foi motivo para ânimo. O dado, conhecido como a "prévia do PIB", teve alta de 0,03% ante março, com ajuste sazonal, o pior resultado para o mês desde 2009.

Em março, havia registrado baixa de 0,36% - também na margem, com ajuste. O resultado ficou abaixo da mediana das projeções (0,21%), mas dentro do intervalo das expectativas, que iam de uma queda de 0,94% a uma alta de 0,56%.