21°
Máx
17°
Min

Taxas futuras de juros recuam, em linha com dólar e com exterior no radar

Com o adiamento da divulgação dos dados de arrecadação e sem mais indicador relevante previsto para hoje, a melhora do humor no exterior guia os mercados locais nesta sexta-feira, 17. Os juros futuros operam em leve queda, em linha com o dólar. As atenções seguem no arrefecimento dos temores de uma eventual saída do Reino Unido da União Europeia.

Os dados de inflação revelados mais cedo ficaram em segundo plano. Às 9h40, o DI para janeiro de 2018 estava em 12,75%, de 12,77% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2021 exibia 12,62%, na mínima, de 12,70%.

Em meio a tantos escândalos envolvendo o PMDB e o seu nome, e após a queda de três ministros em cinco semanas, o presidente em exercício, Michel Temer, não tem, até o momento, compromissos oficiais nesta sexta-feira.

Mais cedo, foi revelado que o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) subiu 1,33% na segunda prévia de junho, ante avanço de 0,68% na segunda prévia do mesmo índice de maio. Na primeira prévia deste mês, o IGP-M havia subido 1,12%.

O Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), que mede a inflação na cidade de São Paulo, registrou alta de 0,40% na segunda quadrissemana de junho, mesmo valor registrado na primeira quadrissemana.

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) caiu em todas as sete capitais pesquisadas na segunda quadrissemana de junho em relação à primeira leitura do mês. No geral, o IPC-S recuou de 0,59% para 0,45% entre os dois períodos.