24°
Máx
17°
Min

Taxas futuras de juros têm viés de alta após abertura

Os juros futuros têm leve viés de alta nesta quinta-feira, 25, corrigindo a queda da véspera. Os mercados domésticos abriram o dia tendo que processar uma bateria de notícias negativas, envolvendo também o mundo corporativo, mas o clima, por enquanto, não é de aversão a risco generalizada.

Às 9h30, o DI para janeiro de 2018 tinha taxa de 14,61%, de 14,57% no ajuste de quarta-feira. O DI para janeiro de 2021 exibia taxa de 15,62%, ante 15,52% no ajuste da véspera.

No radar desta quinta estão indicadores, como a taxa de desemprego do IBGE, mas também notícias corporativas e a nova fase da Operação Zelotes, que tem como alvo a Gerdau. O presidente da empresa, André Gerdau, foi levado para depor na Polícia Federal, em São Paulo.

A taxa de desemprego veio mais alta em janeiro do que a de dezembro, mas dentro das estimativas e fica em segundo plano nos mercados. A taxa de desemprego nas seis principais regiões metropolitanas do País ficou em 7,6% em janeiro de 2016, a mais alta para o mês desde 2009, quando estava em 8,2%.

O resultado ficou dentro do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo AE Projeções(7,20% a 8,70%), mas abaixo da mediana de 7,90%. Em dezembro de 2015, a taxa de desocupação foi de 6,9%.