22°
Máx
14°
Min

Taxas futuras de juros têm viés de alta, com impeachment no radar

Os juros futuros operam perto da estabilidade, com viés de alta. O leilão de NTN-B desta terça-feira, 30, traz pressão na curva, especialmente os mais longos, e há cautela também com o julgamento da presidente Dilma Rousseff no processo de impeachment do Senado. Segundo um operador, apesar de o mercado avaliar que ela deve ser definitivamente afastada, não há "100% de certeza".

Sobre o fiscal, o secretário-executivo da Fazenda, Eduardo Guardia, afirmou que, no momento, não tem como sinalizar "nada claro" aos governadores do Norte e Nordeste em relação a uma ajuda adicional a seus Estados. Este é um dos pleitos dos governantes, que pedem ajuda extra de R$ 7 bilhões para fechar as contas.

O resultado da taxa de desemprego da Pnad Contínua no trimestre encerrado em julho ficou em segundo plano. A taxa de desocupação no Brasil ficou em 11,6% no trimestre encerrado em julho de 2016. O resultado ficou acima da mediana (11,50%) mas dentro do intervalo das expectativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast. Eles estimavam uma taxa de desemprego entre 11,30% e 11,70%.

Às 9h37, o vencimento para janeiro de 2018 estava em 12,80%, de 12,79% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2021 exibia 12,12%, de 12,09% no ajuste de segunda-feira.