22°
Máx
16°
Min

Taxas operam em alta, ainda sob pressão de cenário político

O mercado de juros iniciou a quinta-feira, 24, em alta, dando continuidade ao movimento iniciado ontem. A presença de nomes da oposição em uma superplanilha de pagamentos feitos pela Odebrecht pode, na visão do mercado financeiro, afetar o cronograma do processo de impeachment da presidente da República Dilma Rousseff. Os juros também acompanham a alta do dólar, esta igualmente associada ao cenário político e a uma busca de proteção antes do feriado da Semana Santa.

Às 9h50 o DI para janeiro de 2021 estava a 13,980%, contra 13,85% no ajuste anterior.

Mais cedo foi divulgado que a taxa de desocupação no Brasil ficou em 9,5% no trimestre encerrado em janeiro de 2016, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua divulgados pelo IBGE. O resultado ficou dentro das expectativas dos analistas ouvidos pelo AE Projeções, que estimavam uma taxa de desemprego entre 8,90% e 9,70%, com mediana de 9,25%. O dado, no entanto, foi apenas observado, sem pesar inicialmente nos negócios.

O mercado continua atento de fato, ao noticiário político, como é o caso de qual será a resolução do PMDB em reunião agendada para a próxima terça-feira. Espera-se que nesse dia o partido que compõe a base do governo decida se desembarcará ou não da gestão comandada por Dilma Rousseff.