21°
Máx
17°
Min

Ternium irá recorrer na Justiça contra decisão do Cade

A acionista controladora da Usiminas, Ternium, irá recorrer na Justiça contra a decisão do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que deu aval para que a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) indique membros ao Conselho de Administração da siderúrgica mineira, disse uma fonte ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado. A AGE que elegerá os membros do colegiado ocorrerá nesta quinta-feira, 28, à tarde, em Belo Horizonte.

A CSN é a maior acionista da Usiminas fora do bloco de controle, formado, além da Ternium, pela japonesa Nippon Steel e a Previdência Usiminas. Em 2012, após a companhia presidida por Benjamin Steinbruch obter fatia relevante na Usiminas depois de compras em bolsa, o Cade esterilizou os direitos políticos da empresa mineira, por ferir o direito de concorrência.

Neste ano, no entanto, o órgão antitruste acatou pedido da CSN, que justificou que a Usiminas estava em situação muito diferente da vista em 2012 e que a briga societária entre os controladores piorava a situação já difícil da empresa por conta do mercado enfraquecido.

No parecer favorável do Cade, o coordenador de estudos e pareceres do órgão, Rodrigo Abreu Belon Fernandes, afirma que "pelo contexto apresentado pelas partes fica patente que o quadro da Usiminas, seja financeiro ou de governança, se agrava e potencialmente compromete sua capacidade de competir no mercado".

Dessa forma, o documento frisa que as restrições que foram impostas pelo Cade, tendo em vista a AGO da Usiminas, que elegerá membros para o Conselho de Administração da siderúrgica mineira hoje, "podem resultar em agravamento destas condições, havendo risco de transformar um problema societário num outro problema concorrencial indesejado". Assim o parecer diz que o Cade pode flexibilizar sua decisão, mas "de maneira controlada e episódica".

A Ternium, no entanto, alega que a decisão do Cade prejudica a concorrência, visto que CSN e Usiminas são grandes rivais no mercado brasileiro. Procurada, a Ternium não comentou.