22°
Máx
16°
Min

Tesouro Direto suspende negociações de títulos por causa de volatilidade

Nesta sexta-feira, 15, último dia útil antes do início da votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, investidores que planejavam aplicar recursos em títulos do Tesouro Direto ficaram sem essa opção. Nas telas de corretoras pela internet, um aviso logo informava: "Devido à forte volatilidade nas taxas de juros dos títulos públicos, informamos que o Tesouro Direto está temporariamente suspenso. Assim que a situação for normalizada, o sistema será reaberto para renegociação".

O investidor recorrente sabe que esse aviso é dado toda vez que tem decisão do Banco Central sobre o rumo da taxa básica de juros do País, a Selic, e em dias em que o mercado financeiro está mais "nervoso". Hoje foi assim. Depois de muitos dias fechando em baixa, por exemplo, o dólar acabou encerrando os negócios em alta. No último pregão antes da votação do impeachment, a bolsa de valores subiu 1,56%, com destaque para as estatais, e contratos de juros também oscilaram bastante num processo de correção da tendência de recuo visto nos últimos dias.

Procurado, o Ministério da Fazenda explicou que as suspensões das operações do Tesouro Direto ocorrem para garantir que as transações sejam sempre realizadas a taxas justas, ou seja, alinhadas às taxas praticadas no mercado secundário. Nesse ambiente, onde negociam grandes investidores (bancos, fundos, corretoras, etc.), as transações com títulos públicos ocorrem ininterruptamente das 9 horas às 18 horas. Essas negociações fazem com que os preços e, consequentemente, as taxas dos títulos sofram alterações ao longo do dia.

Já o Tesouro Direto atualiza as taxas dos títulos oferecidos aos seus investidores normalmente três vezes ao dia. Segundo a Fazenda, essa frequência de atualização é suficiente para permitir o funcionamento estável do programa quando não há excesso de volatilidade. "Quando se verifica forte volatilidade no mercado, com aumentos ou quedas bruscas nos preços dos títulos públicos, o Tesouro Direto suspende temporariamente as vendas e compras para evitar que o investidor venha a fechar uma transação a um preço que pode ficar rapidamente defasado", trouxe a nota enviada ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado. Após restabelecida a normalidade, o Tesouro Direto retoma as operações.