23°
Máx
12°
Min

Tesouro Direto tem entrada recorde de novos investidores em março

O Tesouro Direto, no mês de março, registrou recorde no ingresso de novos investidores. Foram contabilizados 33,5 mil novos participantes em março, informou nesta quarta-feira, 20, o Tesouro Nacional. O número total de investidores cadastrados atingiu 708,7 mil, o que representa um aumento de 46,3% nos últimos 12 meses. Já o número de investidores ativos - aqueles que efetivamente possuem aplicações - cresceu 12,8 mil no mês, chegando a 274,3 mil no final do período, uma alta de 91,9% nos últimos 12 meses.

No mês de março, as vendas do Tesouro Direto atingiram R$ 1,750 bilhão. Já os resgates, relativos às recompras ocorridas no mês, totalizaram R$ 748 milhões. Com isso, observou-se que as vendas líquidas foram de R$ 1,002 bilhão no mês.

De acordo com o balanço divulgado, os títulos mais demandados pelos investidores foram os indexados ao IPCA (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais), cuja participação nas vendas atingiu 60%. Os títulos prefixados (Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais) corresponderam a 13% do total e os indexados à taxa Selic (Tesouro Selic), 27%.

Em relação ao prazo de emissão, 23,2% das vendas no Tesouro Direto no mês corresponderam a títulos com vencimentos acima de 10 anos. As vendas de títulos com prazo entre 5 e 10 anos representaram 15% e as com prazo entre 1 e 5 anos, 61,8% do total.

O Tesouro destaca a utilização do programa por pequenos investidores, já que as vendas de até R$ 5 mil corresponderam a 66,7% do total do mês. O valor médio por operação em março foi de R$ 13.051,00.

Estoque

O estoque, por sua vez, alcançou um montante de R$ 29,3 bilhões em março, registrando aumento de 4,7% em relação ao mês anterior (R$ 28,0 bilhões) e aumento de 75,5% sobre março de 2015 (R$ 16,7 bilhões). Esse é o maior estoque já registrado no programa.

Os títulos remunerados por índices de preços respondem pelo maior volume no estoque, alcançando 61,1%. Na sequência, aparecem os títulos indexados à taxa Selic, com participação de 20,5%, e, por fim, os títulos prefixados, com 18,4%.

Em relação à composição do estoque por prazo, o Tesouro informou que 5,2% dos títulos vencem em até 1 ano. A maior parte, 49,6%, é composta por títulos com vencimento entre 1 e 5 anos. Os títulos com prazo entre 5 e 10 anos, por sua vez, correspondem a 28,6% e os com vencimento acima de 10 anos, a 16,7%.