22°
Máx
14°
Min

Vale tem prejuízo de R$ 44,213 bilhões em 2015

Com a queda dos preços do minério de ferro, a Vale registrou um prejuízo líquido de R$ 44,213 bilhões em 2015, ante um lucro de R$ 954 milhões no ano passado. No intervalo de outubro a dezembro, o prejuízo ficou em R$ 33,156 bilhões, perda quase sete vezes superior à anotada no mesmo período de 2014.

"A redução de R$ 45,167 bilhões no lucro líquido deveu-se, principalmente,

à menor margem Ebitda, aos maiores impairments (ajuste contábeis) registrados em 2015 e ao efeito negativo nos resultados financeiros da depreciação ponta a ponta do real contra o dólar, de 47% em 2015", destacou a mineradora brasileira no documento que acompanha seu demonstrativo financeiro.

Esses ajustes contábeis de ativos e de investimentos, assim como o reconhecimento de contratos onerosos, somaram R$ 36,280 bilhões no ano passado. Segundo a mineradora, esses impairments ocorreram, principalmente, por conta da redução significativa nas premissas de preços que são utilizadas em tais testes de impairment.

A geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) no ano passado foi de 23,654 bilhões, recuo de 24% ante o ano imediatamente anterior. No último trimestre do ano passado, o Ebitda ajustado foi de R$ 5,386 bilhões, recuo de 3% na base anual e de 21% na trimestral.

A receita operacional líquida da Vale no ano passado somou R$ 85,499 bilhões, queda de 3% ante o visto em 2014. No quarto trimestre, por sua vez, a receita líquida foi de R$ 22,681 bilhões, aumento de 2% ante o último trimestre do ano passado e queda de 3% ante o terceiro trimestre.

4º trimestre

A Vale reportou um prejuízo líquido de US$ 8,569 bilhões no quarto trimestre do ano passado, valor 4,6 vezes superior ao prejuízo anotado no mesmo período do ano anterior. Em relação às perdas anotadas no terceiro trimestre, o número aumentou cerca de 4 vezes. Em 2015, a Vale reverteu lucro e teve prejuízo líquido de US$ 12,129 bilhões.

Já a geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado ficou em US$ 1,391 bilhão no quarto trimestre do ano passado, recuo de 36,4% na relação anual. Na comparação trimestral, a retração foi de 26%. No ano, o Ebitda ajustado alcançou US$ 7,081 bilhões, queda de 47%.

A margem Ebitda ajustada no quarto trimestre foi de 23,6%, ante 24,1% no quarto trimestre de 2014 e 28,8% no terceiro trimestre. No ano, a margem Ebitda ajustada ficou em 27,7%.

A receita operacional líquida da Vale no intervalo de outubro a dezembro do ano passado ficou em US$ 5,899 bilhões, queda de 35% de relação ao quarto trimestre de 2014. Ante os três meses imediatamente anteriores, o recuo foi de 9,3%. Em 2015, a receita líquida somou US$ 25,609 bilhões, baixa de 31,8%.

No quarto trimestre do ano passado, a produção própria da Vale ficou em 85,361 milhões de toneladas, expansão de 2,9% em relação ao mesmo intervalo de 2014, mas queda de 3,2% em relação ao trimestre imediatamente anterior. Com a compra de terceiros, o volume foi a 88,411 milhões de toneladas, aumento de 2,4% na comparação com o último trimestre de 2014. Ante o terceiro trimestre de 2015, houve um decréscimo de 2,6%, conforme o relatório de produção divulgado no semana passada.

Já em 2015, a produção de minério de ferro da Vale atingiu 345,879 milhões de toneladas, um crescimento de 4,3% em relação ao visto um ano antes. De acordo com a companhia, o volume anual de produção é recorde. Com isso, a mineradora brasileira superou a meta de produção divulgada, de 340 milhões de toneladas.