22°
Máx
16°
Min

Vendas dos supermercados acumulam alta de 0,07% de janeiro a junho, diz Abras

As vendas do setor supermercadista ficaram praticamente estáveis de janeiro a junho, subindo 0,07% na comparação com o mesmo período do ano anterior, de acordo com o Índice Nacional de Vendas Abras, divulgado nesta terça-feira, 26, pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras).

Em junho, as vendas em valores reais - deflacionadas pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do IBGE - registraram queda de 1,03% na comparação com maio e alta de 1,67% em relação ao mesmo mês do ano de 2015.

Em valores nominais, as vendas do setor caíram 0,68% em junho em relação ao mês anterior. Na comparação com junho de 2015, as vendas do setor registram alta de 10,66%. No acumulado do ano, as vendas cresceram 9,74% em termos nominais.

"O resultado de junho mostra que as vendas em faturamento bruto apresentam estabilidade e aumentam a perspectiva de se atingir um resultado positivo no ano", disse em nota à imprensa o presidente do conselho consultivo da Abras, Sussumu Honda. Segundo ele, ainda que o resultado tenha sido pequeno, o número contrariou as estimativas iniciais de recuo de 1,8%.

Cestas

No mês de maio, o preço da cesta de produtos Abrasmercado, pesquisada pela GfK e analisada pelo Departamento de Economia e Pesquisa da Abras, registrou alta de 1,65%, passando R$ 465,62, em maio, para R$ 473,31 em junho.

Entre as maiores altas no mês de maio estão: feijão, leite longa vida, batata e queijo prato. Já as maiores quedas registradas foram: cebola, tomate, carne traseiro e carne dianteiro.

Regiões

Em junho, a maior alta de preços foi registrada na Região Sul (2,93%), com a cesta regional chegando a R$ 524,57. Nenhuma região registrou queda.