22°
Máx
16°
Min

Vendas trimestrais do Casino crescem no Brasil

O grupo francês Casino destacou o desempenho das vendas na América Latina no segundo trimestre de 2016. Relatório divulgado na manhã desta quarta-feira, 13, mostra que as vendas na região - onde a empresa tem forte presença no Brasil, Colômbia e Argentina - cresceram 7,1% nos supermercados abertos há mais de um ano. Quando são incluídas todas as lojas e leva-se em conta a variação cambial, no entanto, as vendas totais na região caíram 11,1% e ajudaram na contração das vendas globais do grupo no trimestre.

Segundo o relatório, as vendas nos supermercados da América Latina somaram 3,498 bilhões de euros no segundo trimestre. No conceito de mesmas lojas, o trimestre terminou com aumento das vendas. Nas vendas totais, porém, a queda alcançou os dois dígitos. O relatório da varejista explica essa queda pela desvalorização das divisas da região, que geraram efeito negativo equivalente a 8,3% para as vendas - isso acontece porque o relatório converte o faturamento das divisas locais - como reais e pesos - para euros.

Sobre a América Latina, a varejista diz que as vendas de alimentos "melhoraram significativamente na comparação com o trimestre anterior" e destacou positivamente o desempenho da filial brasileira e colombiana. No Brasil, o controlador do Grupo Pão de Açúcar citou que as vendas cresceram 6,3% no conceito das mesmas lojas, ante ritmo de expansão de 2,2% no primeiro trimestre.

"A rede Assaí continua aproveitando de um desempenho muito bom com vendas orgânicas com crescimento de 37,6% lideradas pelas mesmas lojas e uma expansão muito dinâmica", cita o documento. Nas demais bandeiras do grupo no Brasil - como Pão de Açúcar e Extra - a empresa cita que o trimestre terminou com "vendas positivas" no conceito de mesmas lojas, mas não citou o número. O desempenho positivo, diz o relatório, foi liderado "pelo Pão de Açúcar e os formatos de conveniência, assim como a melhora nas vendas de alimentos no Extra, o que mostra os primeiros efeitos da nova política de vendas".

Ainda no Brasil, a ViaVarejo - que controla a Casas Bahia e Ponto Frio - terminou com aumento de 2,6% nas vendas das mesmas lojas no segundo trimestre. "O que marca uma significativa melhora na comparação com o primeiro trimestre graças à adoção dos planos de ação", cita o documento, que destaca o aumento da participação de mercado das marcas do grupo. Já a Cnova registrou "acentuada contração nos negócios" no Brasil pela elevada base de comparação e o mau momento econômico do País, diz o relatório da varejista.

Entre os demais países da região, o Grupo Éxito "continuou a acelerar". "Graças ao bom desempenho na Colômbia, Uruguai e Argentina como resultado do bom momento comercial".