22°
Máx
16°
Min

Sindicato afirma que escolas estaduais estão sem merenda

(Foto: Divulgação) -  Sindicato afirma que escolas estaduais estão sem merenda
(Foto: Divulgação)

A APP-Sindicato, que representa dos trabalhadores em educação no Paraná, divulgou uma nota em que denuncia a falta de merenda em 2.126 unidades escolares da Rede Estadual de Educação. De acordo com a entidade, a situação atinge um milhão de estudantes.

“Como resultado desta inoperância do governo, hoje as escolas da rede estadual do estado do Paraná estão com seus depósitos de alimentos defasados”, critica o sindicato. A entidade afirma que o Governo do Estado iniciou o processo de licitação para este ano apenas em janeiro e utiliza somente recursos do Governo Federal, estimado em R$ 120 milhões. “Até então, o governo do Estado não tem entrado com a contrapartida financeira para compra de alimentos”, diz o texto.

Além disso, a APP ainda afirma que a chamada pública para a compra de alimentos da Agricultura Familiar foi publicada com atraso e ainda não foi encerrada, o que só deve acontecer em maio. O sindicato diz ainda que as entregas de carnes congelas e peixes que estão sendo realizadas são referentes ao contrato de 2015. “Para 2016, os alimentos industrializados, peixes e carnes congeladas, estão em processo de licitação, com previsão de entrega também para meados do mês de maio”.

Outro lado

A secretaria de estado de Educação informou que já foram autorizadas as licitações para a compra de gêneros alimentícios, no valor de mais de R$ 17 milhões. Além disso, “as 2,1 mil escolas da rede estadual de ensino começaram a receber nessa semana os alimentos provenientes da agricultura familiar. As entregas de frutas, verduras, legumes e hortaliças são feitas semanalmente às escolas pelas cooperativas e associações. Em 2016, serão destinados R$ 100 milhões para a compra dos alimentos para a merenda escolar, que atende diariamente mais de 1 milhão de alunos.”

De acordo com a secretaria, o Paraná supera a meta de comprar 30% de produtos da agricultura familiar para a merenda. No ano passado 41% dos alimentos adquiridos eram de produtores familiares rurais.