26°
Máx
19°
Min

Alunos usam materiais recicláveis em projeto musical de contraturno

(Foto: José Fernando Ogura) - Alunos usam materiais recicláveis em projeto musical de contraturno
(Foto: José Fernando Ogura)

Uma vez por semana, mais de 70 alunos do Colégio Estadual do Campo do Lajeado do Sul (Sudoeste do Paraná) se reúnem no turno complementar, período em que os estudantes não estão em sala de aula, para ensaiar as apresentações de percussão do projeto Som na Lata, que existe na escola há cinco anos. 

Os participantes são divididos em dois grupos com ensaios separados na quarta-feira pela manhã e na quinta-feira à tarde, sempre no contraturno para não atrapalhar o desempenho escolar dos estudantes. São quatro horas em cada encontro com ensaios de canções, coreografia, pesquisas e adaptações musicais. “É uma atividade prazerosa, que gostamos muito, e nem percebemos a hora passar”, disse a estudante Amanda de Jesus Palhamo, de 15 anos, do 2° ano do ensino médio. 

Repertório vasto

A seleção de adaptações é bastante variada e contempla, em sua maioria, canções de origem afro-brasileira. O repertório conta com mais de 40 adaptações que ganham formas nas apresentações que são feitas com baquetas de cabo de vassoura, latas de tinta e galões de plástico. A canção mais pedida nas apresentações é o Hino Nacional. 

O grupo, que também é composto por dançarinos, já se apresentou em várias cidades do Paraná. “É uma atividade diferente daquelas com as quais estávamos acostumados e, além disso, podemos representar nossa escola em outras cidades o que nos proporciona uma sensação muito especial”, disse Rafaela Valter de Moura, de 15 anos, também do 2° ano do ensino médio, que participa do grupo desde o início do projeto.

A atividade começou a ser desenvolvida na escola em 2011 pela professora de Arte, Rosimery Aparecida Euclides Casa, que já tinha trabalhado com o mesmo projeto em outras escolas , onde começou a carreira no magistério. Segundo ela, a atividade traz vários benefícios para a formação dos estudantes. “Além de inserir a música no cotidiano escolar, também trabalhamos com materiais reaproveitáveis, que contribui para criar nos estudantes a consciência ambiental”, explicou a docente, que também é formada em música. 

Para participar do projeto o estudante precisa ter boas notas, ser comportado, gostar de estudar e ter tempo livre para os ensaios, além de aptidão para atividades musicais. “É um projeto que exige comprometimento e dedicação do aluno”, lembrou a coordenadora da atividade.

Colaboração AENPr.