22°
Máx
14°
Min

Áreas de linguagens fazem parte de formação continuada para professores

Foto: Assessoria - Áreas de linguagens fazem parte de formação continuada
Foto: Assessoria

Na manhã de quarta-feira (06) os coordenadores das formações continuadas nas áreas de linguagens da Secretaria Municipal de Educação (SMED) participaram de uma reunião para avaliação das ações e encaminhamentos do próximo semestre. 

Entre as diversas áreas da formação continuada proporcionada aos professores da rede municipal de ensino estão as de Alfabetização e Letramento, Linguagem Brasileira de Sinais (LIBRAS) e Guarani.

Segundo a secretária da pasta, Tania Elisete de Grandi, o objetivo principal das formações em linguagem é a inclusão e integração das crianças que frequentam as escolas, dentro das variáveis linguísticas existentes em nosso município. 

“Desta forma proporcionamos a melhora da qualidade da educação em Toledo, por meio da qualificação e capacitação constante dos professores. Nossos estudantes é quem ganham com essas práticas, e essas ações direcionadas resultam num melhor preparo dos profissionais da educação”, concluiu.

Para a coordenadora de Alfabetização e Letramento, Silvana Martinês, O objetivo de trabalhar as diferentes para a criança tenha condições de se apropriar do conhecimento falando daquilo que é a realidade dela. 

“O município entende as diferentes crianças que estamos recebendo em nossas salas de aula. Essa inclusão é garantida por lei e até então não haviam sido trabalhadas ações tão intensas na questão da linguagem”, afirmou.

A diretora do Departamento de Ensino, Neusa Melânia Koval, ressaltou que a formação dos profissionais também acontece no interior das escolas, em momentos específicos de estudos, no interior das escolas. 

“As formações continuadas da escola visam às questões da questão da aquisição de conhecimento. O trabalho que a SMED faz é intenso, em diferentes frentes, com o objetivo de qualificar e instrumentalizar o trabalho do professor e todas essas ações vão voltar ao contexto escolar no processo de aprendizado do aluno que estar enriquecido, visando a qualidade do ensino”, destacou.

O curso de Alfabetização e Letramento conta com duas turmas atualmente. Uma turma de 25 professores de 1º ano iniciou a formação por meio de adesão em março e segue até novembro. 

A outra turma, que conta com uma parceria do observatório de educação da Unioeste de Cascavel, é de 80 professores de 3º ano, que iniciou a formação em fevereiro seguindo até novembro.

Conforme a coordenadora de Língua Portuguesa da SMED, Madalena Benazzi Meotti, a formação de Alfabetização e Letramento é pensada na linguagem enquanto comunicação discursiva. 

“Todas essas questões que envolvem o trabalho com a linguagem nas escolas e nas formações estão na perspectiva da inclusão e diversidade na escola pública. O objetivo da linguagem em si é instrumentalizar o professor, para que ofereça à criança o ensinamento e que o aluno se aproprie, melhore seu processo de aprendizagem com relação à língua e que ele possa atuar na sociedade, por meio das práticas de leitura e escrita”, comentou.

O município também tem investido no processo de ensino e aprendizado com os coordenadores e diretores das Escolas. 

“O trabalho efetivo com a Língua Portuguesa também resultou em publicações de materiais pedagógicos produzidos pelos próprios coordenadores, e que já estão disponíveis, inclusive nas escolas, para ser utilizado pelos professores no trabalho com as crianças”, explicou Madalena. 

O material das 32 propostas de trabalho também pode ser encontrado no site da Prefeitura de Toledo – www.toledo.pr.gov.br – no setorial Educação.

Formação inicial em Libras

Entre as formações em linguagens, se destaca também a formação inicial em Lingua Brasileira de Sinais (LIBRAS), a 2ª língua oficial brasileira, atendendo inclusive a Legislação Brasileira. Conforme a Coordenadora da Educação Especial - área da surdez da SMED, Fabrícia Nogueira, o município já conta com um profissional certificado, capacitado para dar a formação continuada. 

“Essa formação instrumentalizará e possibilitará que os professores possam realmente alfabetizar as crianças surdas em Libras, para que o conteúdo pedagógico possa ser transmitido e absorvido”, explicou. A turma de 35 professores inscritos inicia a formação em agosto

Formação em Guarani

A formação em Guarani para os professores da rede municipal de ensino de Toledo conta com aulas teóricas e práticas sobre as noções básicas da língua indígena. Segundo a coordenadora da Diversidade da Secretaria de Educação de Toledo Caroline Recalcatti Silveira, é importante marcar e registrar a presença indígena na região e também nas escolas do município, possibilitando a compreensão, e comunicação com os povos tradicionais em seu dialeto.

“O trabalho conta com a leitura dos significados de nomes, por exemplo, de cidades, rios, alguns espaços que levam o nome Guarani”, disse. 

No total, 80 professores participam da formação que conta como docente, o professor da Universidade Federal da Integração Latino-Americana, Mario Villalva Ramon Filho.

Colaboração: Assessorai de imprensa