22°
Máx
16°
Min

CURITIBA ABANDONADA: Prefeitura não se compromete com prazos para a educação, diz Sismmac

(Foto: Colaboração/Sismmac) - CURITIBA ABANDONADA: Prefeitura não se compromete com a educação
(Foto: Colaboração/Sismmac)

O Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Curitiba (Sismmac) divulgou, em seu site, uma matéria em que critica a atual gestão da Prefeitura de Curitiba quanto às demandas da categoria. De acordo com o sindicato, a administração municipal reconhece, por exemplo, a necessidade de aumentar o número de pedagogas nas unidades escolares. No entanto, a gestão “não se compromete com prazos, nem com revisão do dimensionamento”, cita o sindicato.

O Sismmac relata que a direção do sindicato se reuniu com representantes das secretarias municipais de Educação e Recursos Humanos na última terça-feira (5) para negociar os pedidos específicos das pedagogas. “A administração municipal reconheceu que nossas reivindicações tratam de mudanças necessárias para a melhoria da qualidade da educação de Curitiba. Mas, não se comprometeu com prazos para as principais demandas do segmento”, salientou.

O Sismmac alega que a administração municipal reconhece que é necessário rever a portaria sobre o dimensionamento no quadro de pedagogos em cada escola e os casos de limites desta norma (duas pedagogas para escolas com 600 alunos; quatro pedagogas para escolas com 1.000 alunos e seis pedagogas para escolas com 1.500 alunos). “Desde 2013, a administração municipal reconhece que é preciso rever a portaria. Entretanto, alega que a mudança ainda não foi feita por ‘problemas orçamentários’. As pedagogas presentes na reunião criticaram essa informação, questionando os gastos com propaganda da atual gestão”, traz a matéria do sindicato.

Durante a reunião, as pedagogas ainda mostraram a necessidade de tempo sistematizado para estudo e planejamento de atividades, permitindo que os profissionais investiguem e atendam às demandas internas das unidades. “A Secretaria Municipal de Educação se comprometeu a organizar um documento, com a participação do segmento, para orientar a organização do tempo de estudo nas unidades educacionais”, traz o Sismmac.

O sindicato ainda divulgou que a Secretaria Municipal de Educação também se comprometeu a atender reivindicações que dizem respeito à diminuição da sobrecarga de trabalho burocrático e a melhoria das condições de trabalho.

O sindicato ainda cita que o Plano Municipal de Educação, instituído pela Lei 14681/2015, prevê a garantia de um pedagogo para cada cinco turmas. Os profissionais cobraram a realização de estudos para que se cumpra essa meta do plano. Há unidades em que pedagogos atendem pelo menos 10 turmas.  A administração municipal se comprometeu em estudar as demandas das unidades em conjunto com a comissão paritária que está revendo o decreto das atribuições dos pedagogos, mas o Sismmac informou que a prefeitura não garantiu que irá atender as reivindicações ou fará a revisão da portaria.

Colaboração Sismmac